21.6 C
Distrito Federal
sábado, abril 20, 2024

Doação de sangue 2024. Todo doador é sangue bom.

Horner elogia o “respeito” e a “dignidade” de Hamilton em 2021

Rivais se cumprimentam após GP de Abu Dhabi

Max Verstappen e Lewis Hamilton em 2021 disputaram acirradamente. Mercedes e Red Bull não se deram um centímetro dentro e fora da pista, deixando os pilotos exatamente iguais antes da corrida final em Abu Dhabi.

O resultado, claro, é bem conhecido. Hamilton caminhava para seu oitavo título mundial até que Nicholas Latifi bateu nos momentos finais e acionou um Safety Car. O diretor da corrida, Michael Masi, decidiu remover os carros com diferença de uma volta entre Hamilton e Verstappen, criando um volta final histórica.

Verstappen, ao contrário de Hamilton, parou para colocar pneus macios e ultrapassou o rival na curva 4. Ele conseguiu manter a liderança pelo resto da volta e com isso conquistou seu primeiro título de F1.

De acordo com o chefe da equipe Red Bull, Christian Horner, já era uma conquista para Verstappen poder igualar Hamilton em 2021. “Aquela temporada foi uma luta de pesos pesados, desde a primeira corrida no Bahrain até a última em Abu Dhabi”, disse Horner ao podcast Secrets of Success.

“Foram dois pilotos e duas equipes que se elevaram a níveis que provavelmente não sabiam que tinham. Para nós, chegarmos à corrida final empatados em pontos com a Mercedes e Lewis, foi uma grande conquista”, prosseguiu.

“Reuni toda a equipe antes da corrida e falei com todos eles e disse: ‘Pessoal, aconteça o que acontecer hoje, tivemos uma jornada incrível para chegar onde estamos hoje e o que vai acontecer hoje vai acontecer, mas o mais importante é ir lá, dar o nosso melhor e aproveitar’”, lembrou.

“‘Abracem seus nervos porque todos vocês vão ficar nervosos, aquele pit stop se torna mais importante do que nunca. Mas através do trabalho e do esforço, não se trata apenas de hoje, é tudo o que vocês fizeram nas 21 corridas anteriores que nos colocou nesta posição. Então vamos lá, dar tudo’”, acrescentou o chefe da Red Bull.

Horner concorda que as coisas poderiam ter sido muito diferentes: “Durante grande parte da corrida. As coisas não pareciam estar indo do nosso jeito. Mas assumimos riscos com pit stops e estratégia, optamos por uma rota de ataque em vez de uma rota defensiva, porque não tínhamos nada a perder e tudo a ganhar”.

No final, Verstappen levou o título ao ultrapassar um Hamilton desiludido na última volta. Horner teve grande respeito pela reação do britânico, que veio parabenizá-lo após a corrida.

“Senti a maneira como Lewis lidou com essa decepção após a corrida, tiro o chapéu para ele porque, novamente, ele teria ficado ainda mais decepcionado”, declarou Horner.

“Um título mundial que seria um recorde acabara de desaparecer, mas ele se comportou com dignidade e respeito. Ele apertou as mãos na sala dos pilotos após a corrida e teve a boa vontade de dizer muito bem”, lembrou.

Horner acredita que a Mercedes deveria ter sido mais atenciosa com Hamilton durante o Safety Car, dada a quantidade de voltas que ele já tinha feito com seu jogo de pneus. “Fala-se muito sobre a volta final, mas a Mercedes entrou naquela corrida e foi mais rápida que nós no Grande Prêmio”, explicou Horner.

“Lewis conseguiu administrar a diferença para Max com bastante conforto. Mas então eles ficaram muito defensivos, foram muito conservadores e deixaram Lewis de fora com um jogo de pneus com 43 voltas”, criticou o chefe da Red Bull.

“Então ele só esteve em um Safety Car para ficar extremamente exposto. Acho que, ao ficarem na defensiva, eles se expuseram à situação que se desenrolou”, concluiu Horner.

Fonte: R7 – Automobilismo

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Pesquisar

Últimas Notícias

Categorias