Inflação para famílias de renda mais baixa cai 0,60%
IPCA tem deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica
Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos
Caminhoneiros recebem auxílio com parcela dobrada
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

Sociedade Brasileira de Pediatria faz manifesto a favor da vacinação

SBP afirma que vacinação em crianças de 5 a 11 anos é uma prioridade

SBP afirma que vacinação em crianças de 5 a 11 anos é uma prioridade A8SE

A SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) divulgou, na última sexta-feira (24), um manifesto no qual defende a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 e ainda rebate as declarações dadas pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, de que a morte de crianças não implica decisões emergenciais. 

“Mortes motivadas pela Covid-19 na população pediátrica, de forma geral, incluindo o grupo de crianças de 5-11 anos, não estão em patamares aceitáveis. Infelizmente, as taxas de mortalidade e de letalidade em crianças no Brasil estão entre as mais altas do mundo”, diz trecho do manifesto.

Desde o início da pandemia, 2.500 pessoas de zero a 19 anos morreram por causa da doença. Mais de 300 delas confirmadas no grupo de 5 a 11 anos, segundo dados da SBP. 

No manifesto, a SBP ainda ressalta as sequelas deixadas pela Covid-19. Há mais de 1.400 casos confirmados de síndrome inflamatória multissistêmica —  quadro grave de tratamento hospitalar que se manifesta semanas após a infecção — em crianças, em média, de 5 anos. Ao menos 85 morreram por complicações neurológicas, cardiovasculares e respiratórias da síndrome. 

“Ignorar este fato, minimizar sua importância e afirmar que elas são aceitáveis não são atitudes esperadas das autoridades. A sociedade espera e merece outro tipo de postura e de compromisso com a saúde das crianças e adolescentes do Brasil”, defende a nota.

Consulta pública

O Ministério da Saúde disponibilizou formulário de consulta pública sobre a vacinação de crianças na última quinta-feira (23). A medida segue até o dia 2 de janeiro. A decisão de inclusão ou não dessa faixa etária no PNI (Programa Nacional de Imunizações) vai ocorrer, por sua vez, em 5 de janeiro.

Na sexta-feira, a plataforma começou a apresentar instabilidade relatada por usuários de todo o país por meio das redes sociais. A pasta chegou a alterar a plataforma de realização da consulta pública. O órgão informou que foi necessário migrar a ferramenta para o site gov.br. 

Fonte: R7 – Brasil

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.