19.6 C
Distrito Federal
sábado, abril 13, 2024

Sistema de alarme de sirenes às margens do Rio Descoberto será testado nesta terça (2)

 

Dando continuidade ao Plano de Ação de Emergência (PAE) da Barragem do Descoberto, a Caesb fará nesta terça (2), às 9h, um teste de integração do sistema de sirenes usado para alertar moradores de áreas rurais localizadas abaixo da barragem em caso de acidente.

Essa população se encontra dentro do perímetro de segurança do reservatório, ou seja, a Zona de Autossalvamento (ZAS), que possui uma extensão de aproximadamente 6 km e área equivalente a 3,34 km². Em janeiro deste ano, a companhia já havia realizado um teste de autonomia do sistema de alarme. O investimento da Caesb nesse sistema de alertas é de R$ 1.888.733,75.

O próximo teste, que tem previsão de 30 minutos de duração, vai avaliar como está funcionando a integração do sistema de sirenes ao sistema supervisório da Caesb. Os parâmetros a serem medidos estão relacionados ao perfeito funcionamento do sistema após o acionamento remoto. As equipes da Caesb farão o teste de audibilidade dos comandos emitidos remotamente do supervisório para pontos distintos da ZAS.

Mensagens

O sistema de alerta sonoro com sirenes consiste na emissão de mensagens para áreas definidas que, de forma rápida e econômica, associadas ao serviço de telemetria, podem ser acionadas de forma segura, imediata e remota. Foram instaladas sete torres em propriedades rurais ribeirinhas do Rio Descoberto e em comunidades próximas, no DF e em Águas Lindas (GO).  Durante o teste, a seguinte mensagem será acionada: “Atenção! Este é um teste sonoro. Estamos testando os alto-falantes. Fique calmo”. O aviso será alternado com o som de cornetas.

 “Temos como prioridade a atenção às pessoas e a preservação das estruturas que possam ser afetadas”

Luís Antônio Reis, presidente da Caesb

As medidas fazem parte do PAE da Barragem do Descoberto para a evacuação segura da população potencialmente afetada em caso de emergência. O plano está previsto na Política Nacional de Segurança de Barragens e em Resolução da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

“Temos como prioridade a atenção às pessoas e a preservação das estruturas que possam ser afetadas”, ressalta o presidente da Caesb, Luís Antônio Reis. A próxima etapa de implantação do PAE prevê um simulado com a Defesa Civil e com a população local. A operação tem como objetivo treinar as pessoas a seguirem os mesmos passos ensinados, caso haja uma emergência real.

 

*Fonte: Agência Brasília

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Pesquisar

Últimas Notícias

Categorias