Uso de máscara volta a ser obrigatório no transporte público de SP
Entregues mais 704 apartamentos no Itapoã Parque
Câncer do colo do útero acomete mais mulheres negras, revela estudo
Chuteira e uniformes a postos! Vem aí a 2ª edição da Copa Lotus
Candidatos a programas habitacionais precisam enviar documentação

Novo dispositivo permite monitorar marcapassos pelo celular

Um novo sistema, considerado um dos maiores avanços médicos recentes, conecta dispositivos cardíacos implantados, como marcapassos e desfibriladores, via Bluetooth, a um celular, permitindo que os pacientes transmitam informações relevantes ao seu médico a qualquer momento, e em qualquer lugar

Hoje em dia, o monitoramento remoto de um marcapasso ou cardioversor-desfibrilador implantável exige que o usuário se conecte a um console em casa, geralmente localizado ao lado de sua cama, para transmitir os dados ao seu médico

“Há evidências crescentes de que a conectividade entre dispositivos cardíacos e smartphones pode salvar vidas”, disse o Dr. Rob Kowal, diretor médico do setor de CRHF (Frequência Cardíaca e Insuficiência Cardíaca), da Medtronic, produtora do aparelho

A conectividade permite que os pacientes acessem e entendam os dados dos dispositivos que usam no corpo, aumentando seu comprometimento com o tratamento, o interesse pela saúde do coração e a adesão ao monitoramento programado, de acordo com a Medtronic

“Sabemos de um paciente que sentiu tonturas enquanto cortava a grama com o telefone no bolso. Quando ele se sentou para descansar, recebeu um telefonema de sua clínica. Seu dispositivo implantado alertou seus médicos sobre um problema e eles fizeram planos imediatos para corrigi-lo “, diz Kowal

Embora milhões de pacientes usem esses aparelhos no corpo, muitos não têm conhecimento básico do dispositivo e de como ele funciona, o que faz com que a adesão ao monitoramento remoto fique abaixo do desejável. Marcapassos conectados por Bluetooth usados ​​em conjunto com um aplicativo móvel podem resolver esses problemas, permitindo que os pacientes entendam melhor os dados em seus dispositivos e transmitam essas informações a seus médicos

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *