24.6 C
Distrito Federal
sábado, abril 20, 2024

Doação de sangue 2024. Todo doador é sangue bom.

Equador: mais de 150 agentes carcerários são mantidos reféns

As autoridades do Equador informaram, nesta quinta-feira, 11, que 158 agentes penitenciários e 20 funcionários administrativos ainda são mantidos reféns em sete prisões do país.

+ Leia mais notícias do Mundo em Oeste

Jaime Vela, chefe do Conjunto das Forças Armadas do Equador, disse que “não há nenhum refém assassinado”, em referência aos agentes que estão nas prisões. 

As dezenas de reféns no Equador

Mílton Benítez, governador da Província de Azuay, confirmou que há 66 reféns no presídio da cidade de Cuenca. Entre eles estão guardas penitenciários e trabalhadores do serviço de cozinha. 

Leia também: “Escalada da violência faz países reforçarem fronteira com o Equador”

Na tarde da última quarta-feira, 10, trabalhadores da Cruz Vermelha conseguiram entrar no presídio para atender os reféns, depois de negociarem com líderes criminosos. Uma pessoa foi levada ao hospital.

A onda de violência começou depois da fuga do líder da facção Los Choneros 

A onda de violência no Equador se intensificou depois que o líder da facção criminosa Los Choneros fugiu de um presídio, localizado na cidade de Guayaquil, no último domingo, 7. Um dia depois, o presidente do Equador, Daniel Noboa, decretou estado de emergência no país. 

Leia mais: “Brasileiro sequestrado no Equador é libertado, diz irmão”

Já na noite da última terça-feira, 9, Noboa decretou a existência de um “conflito armado interno”. No texto do decreto, o governo qualifica como “terroristas e atores não estatais beligerantes” os 22 grupos do crime organizado. 

Equador vai deportar presidiários estrangeiros

Daniel Noboa
Daniel Noboa declarou que os juízes que estejam ajudando ‘líderes de grupos terroristas’ também serão considerados parte da rede criminosa | Foto: Reprodução/Twitter/X

Noboa ainda informou, na última quarta-feira, que vai começar a deportar presos estrangeiros. O objetivo é reduzir a população carcerária e os gastos, depois do surto de violência. 

Leia também: “Equador registra 13 mortes no 1º dia de ‘conflito armado interno’”

Sem citar nomes, Noboa ainda criticou o Poder Judiciário do país. O presidente declarou que os juízes que estão ajudando “líderes de grupos terroristas” também serão considerados parte da rede criminosa. 

Fonte: R7 – Internacional

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Pesquisar

Últimas Notícias

Categorias