Brasília se enche de branco e dourado para anunciar 2023
Cerca de 30% da população estavam em situação de pobreza em 2021
Saúde Após dois anos de covid, um em cada quatro jovens não estuda
Após dois meses de queda, indústria cresce 0,3%, revela IBGE
Bloqueio no orçamento das universidades federais é suspenso

Venda de veículos tem alta de 19,33% em setembro, diz Fenabrave

Venda de veículos tem alta de 19,33% em setembro, diz Fenabrave
Imagem: Divulgação

A venda de veículos automotores novos em setembro registrou alta de 19,33% na
comparação com o mesmo mês de 2021. No mês passado foram comercializados
335.304 unidades, ante 280.979 em setembro do ano passado. A Federação Nacional da
Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgou os dados de setembro.
Na comparação com agosto, as vendas registraram queda de 3,26% em setembro. Já no
acumulado de janeiro a setembro deste ano, houve alta de 2,1% na comparação com o
mesmo período do ano passado.

Os dados da Fenabrave levam em conta as vendas de automóveis e comerciais leves,
caminhões, ônibus, motocicletas e implementos rodoviários.

 

Segmentos

As vendas de automóveis e comerciais leves tiveram elevação nas vendas em setembro
de 26,76% em relação ao mesmo mês de 2021. Já na comparação com o mês anterior,
agosto de 2022, houve queda de 7,12%. No acumulado do ano, foi registrada queda de
5,08% em relação ao mesmo período de 2021 para o segmento.

No caso de caminhões todos os índices ficaram negativos em setembro. Na comparação
com o mesmo mês do ano passado, a queda é de 4,02%. Na comparação com agosto, a
retração foi de 9,81%. De janeiro a setembro, a queda foi 1,8%, na comparação com o
mesmo período de 2021.

“Essa queda se deve à falta de componentes e ao fato de que caminhão é algo muito
específico, feito por encomenda, com tecnologia muito maior do que a dos outros
veículos”.

As vendas de implementos rodoviários apresentaram crescimento de 7,73% na
comparação com setembro do ano passado, mas tiveram queda de 5,39% ante agosto
deste ano. No acumulado de janeiro a setembro a queda foi de 8,19%.

 

*Fonte: Agência Brasil

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *