Fies: pré-selecionados devem enviar informações até esta sexta-feira
Pesquisa aponta redução de 404 mil trabalhadores no comércio em 2020
Pesquisa delineia possibilidades para um segundo turno no DF
Caso seja reeleito, Ibaneis pretende manter modelo do Iges-DF
Movimentação de cargas cresce 2,3% no trimestre no Porto de Santos

Veja algumas das fotos mais impressionantes tiradas pelo Hubble

No espaço há mais de 30 anos — desde 24 de abril de 1990 —, o telescópio Hubble, da Nasa, a agência espacial americana, terá agora um grande aliado para ajudá-lo a desvendar os muitos mistérios sobre o Universo. Isso porque o telescópio James Webb, da Nasa em parceria com as agências espaciais da Europa (ESA) e Canadá (CSA), deve ser, enfim, lançado no sábado (25)

*Estagiária do R7 sob supervisão de Fábio Fleury

Segundo a Nasa, o Hubble “ajudou a pavimentar o caminho científico” do James Webb. A agência espacial cita um exemplo para explicar o que isso significa: Hubble pesquisou, entre muitos outros astros, o aglomerado de estrelas Westerlund (foto acima), que deverá ser observado pelo Webb. O aglomerado chama a atenção por conter as estrelas jovens mais massivas da Via Láctea. Mas, enquanto Hubble vê galáxias jovens, Webb pode ir além e mostrar recém-nascidas, pelo fato de conseguir “ver mais longe no tempo”

Hubble está posicionado na órbita terrestre a uma altitude de cerca de 559 km da superfície e consegue completar uma volta inteira em torno da Terra em apenas 95 minutos. Com sua visão poderosa, o instrumento já mostrou aos astrônomos galáxias distantes, rastreou objetos interestelares à medida que eles voaram pelo Sistema Solar e estudou a atmosfera de exoplanetas, isto é, planetas que orbitam outras estrelas 

Um exemplo de galáxia descoberta pelo Hubble é a NGC 3568, situada a cerca de 57 milhões de anos-luz da Via Láctea. A descoberta foi publicada no Twitter no último dia 17

Já esta foto mostra UGC 11537, outra galáxia descoberta pelo Hubble, localizada a cerca de 230 milhões de anos-luz de distância. As duas estrelas do primeiro plano estão inseridas dentro da Via Láctea

Esta imagem foi registrada pelo Hubble há dez anos e mostra uma região de formação de estrelas catalogada como S106. O local está a cerca de 3,3 mil anos-luz de distância, em uma região relativamente isolada da Via Láctea

Outro incrível registro do Hubble, desta vez feito em conjunto com o Chandra, outro telescópio da Nasa, mostra uma nebulosa planetária bipolar não muito comum, conhecida como Menzel 3 ou Nebulosa da Formiga. Segundo a Nasa, ela se expande 50 quilômetros a cada segundo

E, para fechar com chave de ouro, a imagem de uma estrela rodeada por uma nebulosa semelhante a uma coroa de flores. RS Puppis, como foi nomeada, está situada a cerca de 6,5 mil anos-luz de distância e é aproximadamente 15 mil vezes mais brilhante que o Sol

Fonte: R7 – Tecnologia e Ciência

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Últimas Notícias:

vacina