Primeiro turno teve diminuição de votos brancos e nulos, diz TSE
IPC-S registra inflação de 0,02% em setembro, diz FGV
Metade dos brasileiros abandonam o tratamento ainda no primeiro ano
Micro e pequenas empresas criaram mais de 70% dos empregos de agosto
Condutores de máquinas agrícolas agora devem portar registro

Polícia do DF prende grupo que furtava combustível para vender ilegalmente por preço menor

Gasolina era furtada e vendida por menor valor em esquema criminoso no DF

Gasolina era furtada e vendida por menor valor em esquema criminoso no DF Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil do Distrito Federal realiza na manhã desta quinta-feira (28) uma operação contra furto e receptação de combustíveis no DF e Entorno. Ao todo, 11 mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão são cumpridos. Um grupo chegava a usar crianças para impedir a filmagem dos crimes. Suspeitos recolhiam o produto e repassavam por preço menor do que o praticado pelo mercado.

A ação é conduzida por investigadores da DRF II (Divisão de Repressão a Furtos), da Corpatri (Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais). Segundo a corporação, a apuração teve início no final de 2021.

A Polícia Civil informou que os criminosos tapavam as câmeras de segurança para furtar os combustíveis. Em alguns casos, eles colocavam crianças na frente do equipamento para impedir que a ação fosse filmada. O grupo também recolhia combustível deixando de repassar o conteúdo integral do produto a distribuidoras e postos, não esvaziando totalmente o tanque na hora da descarga no estabelecimento.

A sobra retirada era vendida a receptadores em galões a um custo bem abaixo do preço de mercado. Segundo a Polícia Civil, a gasolina era comercializada a R$ 4,50 o litro – valor muito inferior ao preço médio, que ultrapassa R$ 7 no DF. O material era estocado sem controle, oferecendo riscos de explosão, ao meio ambiente e à saúde das pessoas.

Gasolina furtada apreendida em ação da Polícia Civil do DF

Gasolina furtada apreendida em ação da Polícia Civil do DF Polícia Civil/Divulgação

Nas primeiras horas da manhã, nove pessoas haviam sido presas, a maior parte delas “jiboieiros”, motoristas responsáveis por entregar o material aos compradores. Eles foram detidos na garagem de uma empresa de cargas e armazenamento, em Taguatinga, na Estrutural e em Valparaíso, em Goiás. Até o momento, dois receptadores foram presos, na Vila Cauhy, no Núcleo Bandeirante, e no Riacho Fundo.

A DRF informou que outras duas operações contra esse tipo de crime foram realizadas desde 2019, com um total de 35 presos. Quando comprovada a participação no esquema, o suspeito responde por associação criminosa, furto, receptação e crimes contra a ordem econômica e o meio ambiente. As penas podem chegar a dez anos, diz a polícia.

Fonte: R7 – Brasília

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.