Setor Marista ganha ecoponto, com tapume sustentável
Exercitar o cérebro pode evitar diversas doenças
Em fevereiro, juros médios dos bancos sobem para 44,2% ao ano
CLDF vai revitalizar Praça dos Eucaliptos com recursos próprios
Espetáculo Volver a Leticia faz curta temporada em Brasília antes de embarcar para festivais internacionais

Dinho Ouro Preto fala sobre relação com drogas: Descida ao inferno

O cantor desabafou sobre o período que saiu da banda Capital Inicial em 1993

Aos 57 anos de idade, Dinho Ouro Preto admite que foi um homem de excessos! Durante entrevista ao podcast Podpah, o cantor conversou sobre a fase ruim que passou no início da carreira e a relação com as drogas, citando até mesmo álcool e cocaína.

– Muito excesso, muita droga e muita acabação. Talvez a frustração de eu saber das minhas próprias limitações, tenha me levado a tentar afogar as minhas mágoas, tentar… Uma anestesia quase. As drogas estavam ligadas à minha percepção de mim mesmo, noção das minhas próprias limitações, desabafou.

Dinho ainda contou sobre o período que deixou a banda Capital Inicial, em 1993, e classificou o momento como descida ao inferno. E detalhe, nem o público, nem a família do artista sabiam pelo o que ele estava passando.

– Fiquei nessa loucura uns três ou quatro anos. É incrível eu ter sobrevivido. Um pouco depois disso eu conheço a minha mulher, que é a minha mulher até hoje. Ela foi a minha salvação. E a partir dali, começo a reconstruir a minha vida do que ela é hoje.

Fonte: R7 – Pop

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *