Estudo mostra descumprimento da Lei de Cotas em empresas paulistas
Anvisa autoriza estudo para nova vacina contra a covid-19
Balança comercial registra superávit de US$ 3,99 bi em setembro
Câmara dos Deputados terá quatro parlamentares indígenas
Pfizer apresenta pedido de vacina mais forte contra variante Ômicron

Bolsonaro diz que com reeleição ‘tudo vai ser diferente’, em novo recado ao STF

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a mandar recado para o Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira, 22, durante comício em Manaus (AM). O chefe do Executivo disse que, se for reeleito, vai “fazer valer” o que está escrito na Constituição e, por isso, “tudo vai ser diferente”. Quando faz ameaças veladas à Corte, como nos atos de 7 de setembro, Bolsonaro costuma dizer que os magistrados atuam “fora das quatro linhas da Constituição”.

“Tenho certeza que, com a nossa reeleição, tudo vai ser diferente. Nós vamos fazer valer o que está escrito na nossa Constituição brasileira. Nós temos tudo para sermos uma grande nação”, declarou o presidente a apoiadores. “O próximo dia 2 é um divisor entre a ordem e o progresso e a desordem e o vale-tudo para o lado de lá. Nós sabemos o que nós queremos. Vocês sabem o que têm que fazer, e devem se empenhar para eleger pessoas que tenham compromisso de verdade com o futuro do seu País”, emendou Bolsonaro.

Em um trio elétrico na Esplanada dos Ministérios durante a celebração do Bicentenário da Independência do Brasil, em 7 de setembro, Bolsonaro afirmou que levaria de volta para as “quatro linhas” todos que estivessem fora, caso fosse reeleito. Hoje, o presidente repetiu a afirmação de que a população agora sabe “o que é” o STF. O candidato à reeleição também usou o discurso em Manaus para atacar seu principal adversário na corrida eleitoral, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e para reforçar a pauta de costumes.

“Lá atrás, aquele bandido de nove dedos fez campanha para Hugo Chávez na Venezuela e, depois, fez campanha também para Nicolás Maduro”, disse o presidente, em referência a Lula. Bolsonaro voltou a associar o petista à ditadura da Nicarágua, que, segundo ele, persegue padres. “Para o lado de lá, eles não respeitam a religião de ninguém. Tanto é verdade que lá na Nicarágua estão prendendo padres e expulsando freiras, e o cara Lula diz que nós não temos que meter o nariz nestas questões”, afirmou.

Bolsonaro também disse que é contra o aborto, a legalização das drogas e a ideologia de gênero, temas que animam sua militância. “Estamos aqui, muita gente até esbanjando alegria, mas o momento é de extrema responsabilidade. Nós sabemos o que está em jogo no próximo dia 2 de outubro”, declarou, ao citar a pauta de costumes. O presidente ainda voltou a afirmar que tem certeza de que vai vencer a eleição no primeiro turno, embora as pesquisas de intenção de voto não apontem essa possibilidade. Fonte: Notícias ao Minuto Brasil – Politica

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.