Drenar-GDF-300x250-GIF
GDF cria grupo de trabalho para modernizar sistemas de gestão de saúde
Fachin prorroga prazo para plano de proteção de indígenas isolados
Estudo encontra dez novas espécies de leguminosas
Prioridade a pessoas idosas será indicada pelo símbolo “60+”
Nova Lei amplia idade máxima de veículos de aplicativos para 10 anos

BH promete cumprir ano letivo mesmo com adiamento das aulas

Medida também é válida para escolas particulares

Medida também é válida para escolas particulares Pixabay/Reprodução

A secretária de Educação de Belo Horizonte, Ângela Dalben, afirmou que o adiamento do início das aulas para crianças de 5 a 11 anos não vai prejudicar o ano letivo dos alunos. Em entrevista à Record TV Minas, a chefe da pasta reafirmou que o retorno para as demais faixas etárias está mantido a partir do dia 3 de fevereiro.

“Nós temos que tranquilizar a população e não há a necessidade de polemizar. Nós temos um calendário de 200 dias letivos, que serão cumpridos”, afirma.

Ângela reforçou que as escolas municipais estão preparadas para a volta às aulas e que a determinação do prefeito Alexandre Kalil (PSD) foi considerada para o avanço da vacinação do grupo.

“A rede municipal também está pronta para retornar. O retorno gradual é uma questão de compreensão e colaboração”, diz.

A decisão para a faixa etária de 5 a 11 anos é válida para as redes municipais e particulares. Winder Souza, presidente do Sinep-MG (Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais), defende o retorno para a data que estava prevista. “Nós das escolas particulares estamos prontos para as aulas 100% presenciais. Não precisamos desse tempo”, avalia.

Segundo a prefeitura, as universidades públicas e privadas têm permissão para retorno das aulas presenciais e podem seguir o calendário programado. 

Rede estadual

As aulas nas escolas estaduais vão voltar no dia 7 de fevereiro, como já estava previsto. De acordo com o governador Romeu Zema (Novo), o risco das crianças contraírem Covid-19 nas férias é maior.

“As escolas estão preparadas através de protocolos sanitários para esse retorno seguro. A grande maioria desses jovens já está vacinada. É muito mais arriscado eles estarem em clubes ou ruas, do que estarem dentro das escolas. Nós estamos conscientes que estamos fazendo certo”, disse em entrevista coletiva nesta quinta-feira (27).

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *