Uso de máscara volta a ser obrigatório no transporte público de SP
Entregues mais 704 apartamentos no Itapoã Parque
Câncer do colo do útero acomete mais mulheres negras, revela estudo
Chuteira e uniformes a postos! Vem aí a 2ª edição da Copa Lotus
Candidatos a programas habitacionais precisam enviar documentação

Alta procura por testes de covid-19 causa demora no atendimento nas redes pública e particular

Foto: Reprodução TV Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória Folha Vitória

Fila para testagem no Terminal de Laranjeiras, na Serra: local oferece 500 senhas de atendimento por dia

A alta procura pela população por testes de covid-19 tem causado reclamações pela demora no atendimento tanto na rede pública quanto na rede particular. Em alguns locais, fazer o teste leva muitas horas.

O número de testes rápidos feitos por dia pelo Espírito Santo não foi divulgado, mas só nos terminais do Transcol de Laranjeiras, na Serra;  Itaparica, em Vila Velha; e Jardim América, em Cariacica; a capacidade de testagem é de 1,5 mil por dia.

Devido ao número cada vez mais crescente de pessoas com sintomas gripais, num cenário marcado pela nova cepa Ômicron, do coronavírus, e da variante Darwin, da influenza, o horário teve que ser estendido em alguns terminais. Foi o que aconteceu em Laranjeiras. Não é necessário agendamento, mas é preciso retirar senha. São 500 disponibilizadas por dia. 

Ap´ós seis horas de espera, o porteiro Claudiomar Sodré fez o teste e o resultado foi positivo. Sem opção, ele voltou para casa de ônibus, podendo passar o coronavírus para outros passageiros. 

“Sei desse risco, mas ninguém falou nada para mim sobre como proceder”, afirmou. 

No total, o Estado administra 13 pontos de testagens. Em alguns, é necessário fazer agendamento. Em outros não. 

Na rede municipal, a Serra aumentou a capacidade de testagem nesta semana. São disponibilizados 1,8 mil testes de antígeno por dia com e sem agendamento em 25 pontos. 

Na semana passado, a cidade fazia 150 por dia. Em Cariacica, são 1.500 testes por dia, o mesmo número da última semana. Vila Velha não alterou a quantidade de exames feitos por dia: são 1500 em 11 locais. Já Vitória passou de 470 para 1.250 testes. 

Mesmo assim muitos moradores têm dificuldade de conseguir atendimento. A dona de casa Pâmela Batista mora no bairro Rio Branco, em Cariacica, e não conseguiu agendar o teste na rede municipal da cidade. 

“Comecei a sentir sinais gripais como tosse e muita dor de cabeça. Desde ontem (terça-feira) estou tentando agendar o teste pra saber se é mesmo covid na rede pública de Vitória, Vila Velha e Cariacica mas não consegui. Meu filho está com covid, com muita febre e vomitando. Minha preocupação é esta: saber se tenho também”, disse.

Rede particular no ES também tem dificuldades de atendimento

Se na rede pública não está sendo fácil, na rede particular a situação não muda. Em alguns laboratórios privados, as filas são imensas como neste no centro de Vila Velha.

Foto: Reprodução TV Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória Folha Vitória

Pessoas procurando teste de covid aguardavam do lado de fora para serem atendidas no laboratório Pretti, em Vila Velha

A equipe de reportagem não conseguiu contato com o Laboratório Pretti para saber o procedimento adotado para testagem. Também fez contato com os principais laborários da Grande vitória e fez o mesmo questionamento. O laboratório Tommasi não deu retorno. Já o Cremasco informou que os testes continuam sendo feitos normalmente.

Nos hospitais privados, o atendimento também é alvo de reclamação. Várias salas, recepções e até área externa lotam com muita gente aguardando. O comunicólogo Luca Lima está com sintomas gripais e não conseguiu agendar teste em um hospital particular. A operadora pediu que ele tentasse a rede pública. 

“Estou aguardando há mais de 50 horas por parte da Unimed Vitória, o meu plano de saúde, uma autorização para um teste rápido de Covid-19. Tive uma resposta vergonhosa da Unimed, após muita insistência, de que eu não precisava de uma autorização para fazer um teste para covid. Bastaria eu entrar no site do Governo do Estado e fazer um agendamento. É de emudecer um cidadão! Você paga absurdamente caro para um serviço de qualidade de saúde. E quando você mais necessita, eles mandam você procurar a rede pública”, reclamOU. 

Ele lembra que por não ter certeza se está com coronavírus, precisa ficar isolado, atrapalhando sua agenda de trabalho. 

Foto: Reprodução TV Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória Folha Vitória

Após inúmeras tentativas e 50 horas de espera, o comunicólogo Luca Lima ficou revoltado quando a sua operadora de plano de saúde recomendou que ele procurasse a rede pública para fazer o teste rápido de Covid-19

A Unimed Vitória informou que oferece os testes apenas quando solicitado por um médico. Já a Rede Meridional e o Hospital Santa Mônica suspenderam temporariamente a realização de todos os testes de covid por falta de insumos. 

A Santa Casa de Vitória não se manifestou. No Vitória Apart Hospital, a testagem é feita exclusivamente em pacientes graves que precisem de internação, conforme avaliação médica. O mesmo procedimento é adotado pela Samp.

Nesta quarta-feira (26), o secretário estadual da Saúde, Nésio Fernandes, disse que o Governo do Estado trabalha para atender a toda demanda da sociedade incluindo a da rede privada. 

Especialistas afirmam que a testagem em massa é fundamental para entender como está a circulação do vírus. 

A médica infectologista Cileia Martins diz que testar a população é responsabilidade de todos com esforços das redes pública e privada. 

Foto: Reprodução TV Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória Folha Vitória

Cileia Martins alerta que o foco deve ser no paciente positivado para evitar a propagação da doença

“Hoje, nós temos que focar é no paciente doente porque a partir dele pode haver a contaminação de três a cinco pessoas. É necessário isolar por dez dias este paciente e, no mínimo, cinco dias de isolamento para quem teve contato com ele. Com isso a gente consegue travar a disseminação da doença. O ideal seria que todas as pessoas pudessem fazer os testes, a partir daí fossem feitas as notificações para fazermos levantamento das áreas mais afetadas”, concluiu.

*Com informações do repórter Lucas Pisa, da TV Vitória/Record TV

Fonte: R7 – Cidades

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *