21.6 C
Distrito Federal
quinta-feira, junho 13, 2024

Desempenho da ala musical se destaca em homenagem do Amizade Zona Leste ao baluarte Eduardo Basílio

Por Lucas Sampaio e fotos de Fábio Martins

O Amizade Zona Leste realizou na noite de sábado seu desfile no Sambódromo do Anhembi. Com destaque para a atuação da ala musical, que se comunicou muito bem com a bateria, a agremiação teve vários problemas de atuação, em especial da comissão de frente. O Trevo de São Matheus foi a quarta escola a se apresentar pelo Grupo de Acesso 2, fechando os portões aos 50 minutos, o máximo previsto pelo regulamento.

Comissão de Frente

A comissão de frente intitulada “Rosas de Ouro 1971/2024” se apresentou dividida em três atos com a presença de um tripé, onde os anos mencionados aparecem. No primeiro, um grupo de dançarinos com trajes de gala em azul executou uma performance em referência a antigos desfiles. O tripé, com formato de uma casa e aberturas na frente e atrás, faz a função de um portal para os tempos atuais, de onde saem passistas vestidos de rosa. O terceiro ato envolveu uma atuação conjunta dos dois grupos.

Ao longo dos quatro módulos em que foram observados, o primeiro grupo de dançarinos apresentou diversas inconsistências em seus movimentos, com falta de sincronia na apresentação da escola. Um dos dançarinos sempre chegava atrasado, destoando consideravelmente dos demais. O terceiro ato ocorria praticamente na sua íntegra fora do campo de visão dos jurados, pouco contribuindo para o repertório.

Mestre-sala e Porta-bandeira

O primeiro casal do Amizade, formado por João Lucas e Maria Cristina, desfilou com fantasias representando a “Flor Dourada”, que é o símbolo da escola de samba Rosas de Ouro. Nos dois primeiros módulos, a atuação da porta-bandeira foi devagar, gerando inconsistências na sincronia de seus movimentos com os do mestre-sala em várias oportunidades. O problema observado foi corrigido nos dois últimos módulos, com o João Lucas adequando seu ritmo ao da guardiã do pavilhão.

Enredo

O enredo do Amizade Zona Leste em 2024 foi “Eduardo Basílio, um Mar de Rosas de Ouro. Do Quilombo da Brasilândia para o Mundo”, assinado por uma Comissão de Carnaval, é em homenagem a um dos grandes baluartes do carnaval de São Paulo. Eduardo Basílio foi um dos fundadores da escola de samba Rosas de Ouro, além de ter sido o primeiro presidente da Liga-SP, Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo. Sua gestão na Roseira foi marcada especialmente pelos projetos sociais direcionados à comunidade da região onde a agremiação foi fundada, um dos motivos pelo qual o Rosas ficou conhecido como o “Quilombo da Brasilândia”.

Foi preciso esforço para compreender a história contada pelo enredo ao longo das alas, que não eram claras em seu significado. Com exceção do segundo carro, todos os demais elementos pareciam não se conectar com clareza ao enredo, o que pode gerar problemas ao julgamento da escola.

Alegorias

O Amizade se apresentou com dois carros alegóricos. O abre-alas foi nomeado como “15 de maio. Feliz aniversário!”, data do aniversário de Eduardo Basílio e que, durante sua gestão à frente do Rosas de Ouro, era marcada como o dia do anúncio dos enredos da escola. O segundo carro, intitulado “Quilombo da Brasilândia”, representando o enraizamento da Roseira dentro da comunidade da região noroeste de São Paulo.

O carro abre-alas, com a presença de uma estrutura central em referência a um bolo de aniversário, contava com a presença de telões nas laterais, mas continha diversos problemas de acabamento, com tecidos esticados visíveis por toda a alegoria. Uma escultura na parte superior não contribuía de maneira significativa para a compreensão do carro. A segunda alegoria contou com bom acabamento e representou de maneira adequada a referência ao qual seu nome faz.

Fantasias

As fantasias do Amizade Zona Leste vieram no geral representando os marcos da vida de Eduardo Basílio ao longo de sua gestão à frente do Rosas de Ouro. O segundo casal e as alas finais representavam a saudade deixada pelo baluarte e o desfile ocorrido em 2005, “Mar de Rosas”, que apesar de não ter ganho o carnaval, foi um dos mais marcantes da história da Roseira.

O conjunto de fantasias era no geral de difícil compreensão, procurando fazer referências simples e diretas ao que seus nomes indicavam, pouco se atentando para a harmonização com os demais elementos do desfile. A ala 4 contava com várias fantasias com problemas de acabamento, além de chapéus sendo sustentados pelos desfilantes com dificuldade, como a ala das Baianas.

Harmonia

O Amizade apostou em utilizar-se de apagões em diferentes pontos da pista para provar a força do canto da comunidade, mas tal tática evidenciou as várias inconsistências do canto. Nesses momentos, as alas embolavam seus cantos. Fora disso, muita discrição no canto em geral, com exceção da ala 9, que próxima à bateria na parte final do desfile, demonstrava mais empolgação ao clamar o samba da escola.

Samba-enredo

Assinado pelo consagrado compositor Thiago Meiners e defendido na Avenida pelos intérpretes Adauto Jr. e Eliezer PQP, o samba do Amizade possui uma letra curta, mas que sintetiza de forma poética e linear a proposta do enredo da escola.

A atuação da ala musical foi o destaque do desfile, em especial combinada com a bateria “Batucada do Amizade”, formando bom conjunto nos momentos em que arriscaram os apagões. O samba é de fácil compreensão, o que ajudou a compensar as dificuldades de leitura que os quesitos plásticos ofereciam.

Evolução

­O início da escola contou com considerável lentidão, gerando a necessidade da escola acelerar um pouco o passo ao longo da Avenida para conseguir fechar os portões aos exatos 50 minutos, o máximo que o regulamento permite. As alas, porém, vieram compactas e não houve inconsistências gerais de separação entre elas e os demais elementos do desfile enquanto foram observadas.

Outros Destaques

A presidente do Rosas de Ouro e filha de Eduardo Basílio, Angelina Basílio, desfilou à frente da escola e levantou o público enquanto passou pela Avenida, chamando atenção de todos para o desfile da escola. A bateria “Batucada do Amizade” teve grande desempenho, contribuindo positivamente para o desempenho da ala musical.

Fonte: R7 – Entretenimento

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Pesquisar

Últimas Notícias

Categorias