24.6 C
Distrito Federal
quinta-feira, junho 13, 2024

Anielle Franco vai se filiar ao PT para ser vice de Eduardo Paes nas eleições do Rio

Cotada para ser candidata a vice na chapa encabeçada pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), na busca pela reeleição no Executivo da capital fluminense, a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, afirmou em entrevista à CNN Brasil que deve se filiar ao PT no início deste ano. O movimento busca viabilizar a ministra como um dos nomes do partido na disputa por espaço no Estado.

“Por enquanto, apenas tenho o desejo de me filiar agora no início de 2024, ainda sem data. Esse desejo sempre existiu, mas com o ano atribulado de estruturação do ministério não tivemos a chance. Estamos realizando algumas conversas ainda”, disse a ministra.

Para pavimentar seu caminho rumo à reeleição, quando deverá enfrentar um candidato da direita bolsonarista, Paes aposta, desde a campanha presidencial de 2022, na volta da aliança com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que no passado já garantiu recursos para as obras da Olimpíada de 2016, para se fortalecer na base progressista do Rio.

A relação de Paes com o atual presidente voltou a se fortalecer na campanha federal. O prefeito embarcou na campanha petista e intensificou as críticas ao então presidente Jair Bolsonaro, que tentava a reeleição pelo PL.

Os primeiros sinais de reaproximação entre Paes e Lula foram dados logo após o anúncio público de apoio ao petista. O prefeito abriu espaço em seu secretariado para três petistas: a vereadora Tainá de Paula assumiu a pasta de Meio Ambiente; o ex-vice-prefeito na primeira gestão de Paes, Adilson Pires, a Assistência Social; e Diego Zeidan, a pasta de Economia Solidária.

A parceria para as eleições municipais deste ano, no entanto, ainda não foi sacramentada. Integrantes do diretório petista no Rio veem como natural a aliança e como um “ato de fidelidade” ao presidente Lula. Já o entorno do prefeito é mais cauteloso. Uma ala do PSD defende que Paes concorra à reeleição com uma chapa puro-sangue, com um vice do próprio partido.

Entre os petistas, Anielle não é o nome mais próximo ao atual prefeito, mas conta com o apoio da primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja. Em novembro de 2023, a ministra e a primeira-dama trabalharam juntas para entregar a Lula nomes de juízas negras para indicação à vaga deixada por Rosa Weber no Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente acabou indicando seu ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, ao cargo.

“Educadora, jornalista, escritora, feminista, mãe de meninas, doutoranda, diretora do Instituto Marielle Franco e irmã de Marielle”. É dessa forma que Anielle Franco se apresentava antes de ser alçada ao posto de ministra.

“Cria da Maré”, em referência ao conjunto de comunidades na zona norte do Rio onde nasceu, Anielle tornou-se uma voz importante na luta pelos direitos das mulheres negras e periféricas, sobretudo depois que assumiu a diretoria do Instituto Marielle Franco, criado logo após o assassinato da irmã vereadora, em 2018. Marielle foi brutalmente assassinada junto com o motorista Anderson Gomes, num crime político que segue sem solução até hoje. Fonte: Notícias ao Minuto Brasil – Politica

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Pesquisar

Últimas Notícias

Categorias