Fies: pré-selecionados devem enviar informações até esta sexta-feira
Pesquisa aponta redução de 404 mil trabalhadores no comércio em 2020
Pesquisa delineia possibilidades para um segundo turno no DF
Caso seja reeleito, Ibaneis pretende manter modelo do Iges-DF
Movimentação de cargas cresce 2,3% no trimestre no Porto de Santos

Veja 7 passos para reduzir o risco de Covid-19 na ceia de Natal

Fiocruz publicou instruções para passar as festividades de fim de ano em segurança

Fiocruz publicou instruções para passar as festividades de fim de ano em segurança Freepik

O sucesso da campanha de vacinação contra a Covid-19, que avança com a aplicação da dose de reforço para os brasileiros com mais de 18 anos, possibilitou que as festividades de Natal pudessem ser planejadas em família novamente.

No entanto, mesmo com a redução expressiva do número de mortes pela doença, a pandemia não acabou e alguns cuidados ainda são necessários para evitar o contágio pelo novo coronavírus, sobretudo após o surgimento da variante Ômicron, que tem se mostrado mais contagiosa.

A infectologista Ingrid Cotta, da Beneficência Portuguesa de São Paulo, destaca que a atenção durante a ceia de Natal deste ano precisa ser redobrada não apenas por causa do coronavírus, mas também pela epidemia de gripe causada pelo vírus influenza.

“Existe uma segunda preocupação, que é a epidemia do vírus influenza H3N2, para a qual ainda não temos vacina, já que a vacina atual da gripe não protege contra essa cepa que está circulando. Então é importante nos protegermos e seguirmos com as medidas de prevenção, como uso de máscaras, manter os ambientes ventilados, evitar aglomerações e higienizar as mãos e as superfícies”, explica. 

Para garantir uma melhor proteção durante as festividades, a infectologista também recomenda o uso da máscara cirúrgica ou, se possível, a N95.

“É interessante conversar previamente com as pessoas com quem vamos festejar o Natal, fazer um combinado de como vai ser a reunião em relação a ventilação dos ambientes e também da higienização das mãos e do espaço”, ressalta.

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), publicou uma cartilha com recomendações para que as festividades de final de ano sejam realizadas em segurança. A seguir, confira 7 dicas para evitar a contaminação durante o Natal: 

1 – É importante que os presentes estejam vacinados. Todas as vacinas em aplicação no país são eficazes para evitar casos graves e mortes pela doença, o que garante mais segurança durante os encontros em família.

Vale ressaltar que, a esta altura do cronograma de vacinação, todas as pessoas com mais de 18 anos já devem ter recebido as duas doses de uma vacina anti-Covid e, para alguns grupos, o reforço do imunizante também está disponível. Adolescentes com mais de 12 já podem receber a segunda dose de acordo com a data prevista no cartão de vacina.

2 – Limite o número de convidados de acordo com o tamanho do espaço onde a ceia será realizada. Mesmo com o esquema vacinal completo, ainda é necessário evitar aglomerações.

3 – Pessoas com sintomas de Covid-19 por cerca de 14 dias antes do Natal devem evitar os encontros presenciais durante as festividades. Os sintomas mais comuns da doença são febre, tosse, cansaço e perda de paladar ou olfato. Nestes casos, vale apostar em chamadas de vídeo para não ficar de fora da confraternização.

4 – Pessoas que tiveram contato ou mantiveram convivência com alguém que tenha sido diagnosticado com Covid-19 pelo menos 14 dias antes da festa também devem cumprir isolamento. Vale lembrar que algumas pessoas podem ser assintomáticas, ou seja, não apresentam sintomas mesmo infectadas pelo vírus e, ainda assim, podem transmiti-lo.

5 – Para a realização da festa natalina, dê preferência a espaços abertos e ventilados, evitando o uso de ar-condicionado. Principalmente para pessoas idosas, imunossuprimidos e crianças que ainda não podem se vacinar, garantir um ambiente com maior circulação de ar pode diminuir as chances de contágio pelo vírus.

6 – Disponibilize álcool em gel em todos os espaços do ambiente, assim como sabonete para lavagem das mãos e dê preferência a guardanapos e toalhas de papel, até mesmo para a secagem das mãos no banheiro.

7 – Priorize o uso de máscara e distanciamento das mesas caso não seja possível saber se todos os presentes estão vacinados. Neste caso, a Fiocruz lembra da importância de ter uma máscara extra caso seja necessário trocá-la durante a celebração, seja pelo tempo de uso, por estar úmida ou suja.

 

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Últimas Notícias:

vacina