Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Quais os riscos que gases e cinzas vulcânicas oferecem à saúde?

Cinzas tóxicas podem se acumular em áreas mais baixas

Cinzas tóxicas podem se acumular em áreas mais baixas Jon Nazca/Reuters

Autoridades das Ilhas Canárias, na Espanha, estão preocupadas com o efeito das cinzas e dos gases do vulcão em erupção Cumbre Vieja na saúde dos moradores do arquipélago.

A chegada da lava a mais de 900°C ao oceano Atlântico provocou uma nuvem de sedimentos de 50 m de altura que pode se deslocar com o vento.

O governo pediu aos residentes que não saiam de suas casas.

Mas quais males este tipo de fenômeno pode causar à saúde?

Segundo o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos), os riscos associados a erupções vulcânicas envolvem os gases e as cinzas.

O órgão afirma que a exposição às cinzas pode causar doenças respiratórias, especialmente em bebês e idosos.

Dentre as condições mais frequentes estão asma e enfisema. Pessoas com problemas como DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) podem ter seus quadros agravados.

“A cinza é arenosa, abrasiva, às vezes corrosiva e sempre desagradável. Pequenas partículas de cinza podem abrasar (arranhar) a frente do olho. As partículas de cinza podem conter sílica cristalina, um material que causa uma doença respiratória chamada silicose”, complementa o CDC.

Outra preocupação envolve os gases quem saem do vulcão, embora estes se dissipem rapidamente na maioria dos casos.

O gás vulcânico mais comum é o vapor de água (inofensivo), seguido pelo dióxido de carbono e dióxido de enxofre, que podem se acumular em áreas mais baixas dos territórios.

“É possível que as pessoas que estão perto do vulcão ou que estão nas áreas baixas a favor do vento sejam expostas a níveis que podem afetar a saúde. Em níveis baixos, os gases podem irritar os olhos, nariz e garganta. Em níveis mais elevados, os gases podem causar respiração rápida, dor de cabeça, tontura, inchaço e espasmo da garganta e asfixia”, explica o órgão.

O USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos) acrescenta que dióxido de carbono, dióxido de enxofre, sulfeto de hidrogênio e halogenetos de hidrogênio emitidos em erupções vulcânicas “são potencialmente perigosos para pessoas, animais e agricultura”.

Há uma preocupação com as áreas mais baixas em relação ao CO2 (dióxido de carbono). Este gás está presente no ar que respiramos, mas em uma concentração de 0,04%.

“Respirar ar com mais de 3% de CO 2  pode rapidamente causar dores de cabeça, tonturas, aumento da frequência cardíaca e dificuldade para respirar. Em proporções de mistura superiores a cerca de 15%, o dióxido de carbono causa rapidamente inconsciência e morte”, afirma o USGS.

Halogênios flúor, cloro e bromo na forma de haletos de hidrogênio são outros gases que oferecem risco, de acordo com o USGS, não imediatos, mas também posteriores.

“Uma vez depositadas, essas partículas de cinza revestidas podem envenenar os suprimentos de água potável, plantações agrícolas e pastagens.”

Riscos envolvem desenvolvimento de doenças respiratórias

Riscos envolvem desenvolvimento de doenças respiratórias Nacho Doce/Reuters

 

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *