Drenar-GDF-300x250-GIF
Construção civil de alto padrão acredita no crescimento do mercado em 2023
DA DESISTÊNCIA DA AÇÃO DE MANDADO DE SEGURANÇA A QUALQUER TEMPO, RECENTE DECISÃO DO STJ
GDF cria grupo de trabalho para modernizar sistemas de gestão de saúde
Fachin prorroga prazo para plano de proteção de indígenas isolados
Estudo encontra dez novas espécies de leguminosas

Promessa recusa a ‘Amarelinha’: veja brasileiros em outras seleções

O meio-campista Matheus Nunes se recusou a defender a seleção brasileira após Fernando Santos, técnico de Portugal demonstrar interesse em contar com o meia em futuras convocações. Confira outros nomes que poderiam vestir a amarelinha, mas que defendem outras seleções ao redor do mundo

Matheus Nunes: convocado por Tite para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, o meia não se apresentou para a seleção pois preferiu esperar e ser chamado por Portugal, onde mora desde os 13 anos

Marlos: ex-jogador do São Paulo e que defende o Shakhtar Donetsk desde 2014, o meia se naturalizou ucraniano após passar mais de nove anos no país, por defender o Matealist e o próprio Shakhtar

Jorginho: formado desde a base no Hellas Verona, da Itália, ficando no país até ser contratado pelo Chelsea, o meia preferiu defender as cores da Azzurra após se adapta totalmente ao país

Pepe: após três temporadas atuando no futebol português, o zagueiro nascido em Maceió optou por se naturalizar como cidadão de Portugal e atuar com a seleção europeia na carreira

Diego Costa: convocado por Felipão para amistosos em 2013, o atacante preferiu se naturalizar espanhol e defender assim a seleção campeã mundial em 2010

Emerson Palmieri: na Itália desde 2014, o lateral-esquerdo escolher vestir a camisa da Azzurra após ser chamado para defender a seleção para um período de testes

Rafael Tolói: desde 2015 na Atalanta e sem nunca ter sido convocado para a seleção brasileira, a Fifa permitiu que Tolói se naturalizasse italiano e assim fosse chamado para servir o país onde mora há tanto tempo

Elkeson (Ai Kesen): naturalizado chinês em agosto de 2019, Elkeson já era cotado para ser convocado pelo país que atua há muitos anos e conseguiu o feito após conseguir cidadania e liberação da Fifa

Rodrigo Moreno: natural do Rio de Janeiro, Rodrigo atua desde a base na seleção espanhola e passou a defender a equipe principal mais recentemente

Deco: sem esperar por uma chance de vestir a camisa da seleção, Deco logo se naturalizou português enquanto atuava no Porto

Liedson: após passagem de destaque pelo Sporting, Liedson chamou a atenção da Federação Portuguesa de Futebol, que pediu a sua naturalização e foi oficializada em 2009, já disputando a Copa de 2010 ao lado de CR7 e companhia

Éder: um dos principais jogadores da Sampdoria no período em que atuou no clube, Éder foi chamado para defender a Itália e assim optou por se naturalizar e passar a defender a seleção europeia

Cacau: desde os 18 anos no futebol alemão, Cacau se destacou e foi logo chamado para defender o país que passou boa parte da carreira, aceitando o pedido e mudando a sua cidadania oficialmente.

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *