Inflação para famílias de renda mais baixa cai 0,60%
IPCA tem deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica
Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos
Caminhoneiros recebem auxílio com parcela dobrada
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

Procuradoria da Mulher da CLDF realiza pesquisa sobre violência obstétrica

Imagem: divulgação

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), por meio da Procuradoria Especial da Mulher, realiza a pesquisa Dimensões da Violência Obstétrica no Distrito Federal. O levantamento busca obter dados de incidência deste tipo de violência e pode ser respondida durante o mês de agosto.

Para participar, basta acessar o link e responder o questionário de apenas seis perguntas. Há espaço aberto para relato pessoal, permitindo contribuição mais aprofundada para a pesquisa. Não é necessária identificação para compartilhar a experiência.

De acordo com a procuradora da Mulher, deputada Júlia Lucy (União Brasil), os resultados obtidos auxiliarão nas diretrizes de combate à violência obstétrica no DF.

Pesquisa anterior – A edição de 2020 da pesquisa apontou que a maioria das mulheres sofreu algum tipo de violência no momento do parto. As vítimas representaram 203 dos 338 formulários online preenchidos, o que equivale a 60% das entrevistadas. No total, 25% sofreram alguma violência psicológica; 15% passaram pela Manobra de Kristeller (técnica banida pela OMS de alto risco para mãe e bebê); 17% receberam ocitocina (hormônio utilizado para acelerar as contrações); 18% foram proibidas de terem acompanhantes; e 25% relataram atendimento com grosseria ou impaciência pelos médicos.

 

*Com informações da assessoria de imprensa da deputada Júlia Lucy

*Fonte: Agência CLDF

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.