Estudo mostra descumprimento da Lei de Cotas em empresas paulistas
Anvisa autoriza estudo para nova vacina contra a covid-19
Balança comercial registra superávit de US$ 3,99 bi em setembro
Câmara dos Deputados terá quatro parlamentares indígenas
Pfizer apresenta pedido de vacina mais forte contra variante Ômicron

Pesquisa delineia possibilidades para um segundo turno no DF

Com o fim do prazo para registro de candidaturas e a divulgação do levantamento do instituto Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica (Ipec) — antigo Ibope —, os concorrentes ao governo do Distrito Federal precisam estudar novas estratégias. Ibaneis Rocha (MDB) apareceu em primeiro lugar, com 38% das intenções de voto. Na segunda colocação ficou Paulo Octávio (PSD), com 9%. A notícia animou os apoiadores da chapa do empresário, que anunciou a entrada na disputa há pouco mais de duas semanas. Com 8% na pesquisa, a senadora Leila Barros (PDT) ficou tecnicamente empatada com o ex-senador. Na sequência, figuraram o tucano Izalci Lucas (5%); Leandro Grass (PV), da federação PT-PCdoB-PV, com 4%; Rafael Parente (PSB) teve 3%; Keka Bagno (PSol), da federação PSol-Rede, registrou 2%; e Lucas Salles (DC), 1%. Os demais postulantes não pontuaram, e o coronel Moreno (PTB) não havia sido lançado à época da pesquisa, que ouviu 1,2 mil pessoas, no último fim de semana. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança, de 95%.

Coligação ganha reforço

Em reunião na última segunda-feira (15/8), a executiva provisória do Patriota-DF, presidida por Fábio Simão, fechou com a coligação em torno da candidatura de Paulo Octávio, presidente do PSD-DF. Além das duas legendas, a chapa do empresário sai com apoio do PSC, do advogado Luís Felipe Belmonte, postulante a vice, e do Podemos.

Aliados de longa data

A novidade deixa o ex-governador José Roberto Arruda (PL), candidato a deputado federal pela chapa de Ibaneis Rocha (MDB), em uma situação delicada — ou, quem sabe, favorável. Arruda e Simão têm relação próxima desde 1989, no governo Joaquim Roriz. Posteriormente, na gestão Arruda, Simão atuou como braço-direito do político, em cargo estratégico e de confiança, na chefia de gabinete da Governadoria. Com esse histórico de proximidade, a permanência do Patriota na coligação de Paulo Octávio pode abrir uma porta de entrada para Arruda atuar pelos bastidores na campanha do empresário, que teve como vice-governador.

Substituições aos 45 do segundo tempo

A candidatura de Leila Barros (PDT) ao Governo do Distrito Federal passou por mudanças de última hora, nessa segunda-feira (15/8). Pouco antes do fim das inscrições, a senadora optou por outra pessoa para seguir como vice na chapa, que continuará puro-sangue. O advogado Guilherme Campelo (PDT) vai disputar no lugar do ex-presidente da Câmara Legislativa Joe Valle (PDT), direcionado para concorrer ao Senado. Até então, a legenda estava sem postulantes ao cargo na chapa e não apoiava nomes de outros partidos.

Menor quantidade de candidatos desde 2006

Deu-se a largada ao período de campanhas em todo o país. O início das eleições abre caminho para passeatas de políticos nas ruas, comícios, entrega de panfletos e propaganda com os números dos candidatos nas urnas. No Distrito Federal, 851 pessoas se registraram e aguardam julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para concorrer ao pleito. A quantidade de inscritos é a menor desde 2006, quando houve 791 interessados.

Nomes definidos para as eleições da Procuradoria-Geral de Justiça do DF

Outra eleição marcada para este ano ocorre no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), cujos integrantes escolherão o próximo procurador-geral de Justiça do DF. Quatro promotores e uma procuradora de Justiça disputarão a vaga, em 8 de setembro: Dermeval Farias Gomes Filho, Georges Carlos Fredderico Moreira Seigneur, Maria Rosynete de Oliveira Lima, Ricardo Antônio de Souza e Wagner de Castro Araújo. O mandato dura dois anos e começa em 9 de dezembro, quando a ocupante do cargo, Fabiana Costa, passará a função para um dos nomes escolhidos da lista tríplice enviada à Procuradoria-Geral da República (PGR) e remetida à presidência da República. Dos cinco candidatos, Georges Carlos é quem conta com apoio do atual chefe do MPDFT.

*Fonte: Correio Braziliense

*Foto: Divulgação

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.