Inflação para famílias de renda mais baixa cai 0,60%
IPCA tem deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica
Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos
Caminhoneiros recebem auxílio com parcela dobrada
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

Ministros da Defesa das Américas assinarão declaração nesta quinta

Ministros reunidos na 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas, em Brasília

Ministros reunidos na 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas, em Brasília ANTONIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

Será assinada nesta quinta-feira (28) a Declaração de Brasília pelos Ministros da Defesa das Américas, documento que marcará o término da 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas, realizada na capital do Brasil desde terça-feira (26).

A declaração aponta os temas que serão estudados nos próximos Grupos de Trabalho, as conclusões dos debates e o compromisso dos Estados-Membros no âmbito das Conferências.

Ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira

Ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira Roque de Sá/Agência Senado

O país-sede do evento é alternado a cada dois anos, e o Brasil, com o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, foi o anfitrião do biênio 2021/2022.

Durante a conferência, na terça-feira, o chefe da pasta brasileira disse que respeita a Carta Democrática Interamericana, documento que determina que os países devem ter governos democráticos e que todos fortaleçam a ordem democrática na região. “Da parte do Brasil, manifesto respeito à carta da Organização dos Estados Americanos, OEA, e à Carta Democrática Americana, e seus valores, princípios e mecanismos”, afirmou o ministro.

O terceiro artigo do documento diz que são elementos essenciais da democracia, entre outros, a “celebração de eleições periódicas, livres, justas e baseadas no sufrágio universal e secreto como expressão da soberania do povo”.

Lloyd Austin, secretário de Defesa dos EUA

Lloyd Austin, secretário de Defesa dos EUA ALEX WONG/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/GETTY IMAGES VIA AFP – 23.5.2022

No mesmo dia, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, afirmou que as Forças Armadas devem trabalhar sob “controle firme de civis”.

“Acreditamos que todo o hemisfério Sul pode ser seguro, próspero e democrático. Uma dissuasão integrada significa trabalhar em uma rede de parceiros, que as Forças estejam sempre prontas, sob controle firme de civis e que os ministros sirvam de forma transparente e sem corrupção”, disse.

Austin também falou que a região vive um “momento complexo de segurança” e que é necessário “espírito renovado de compromisso com a democracia, símbolo das Américas”.

Fonte: R7 – Brasília

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.