Estudo mostra descumprimento da Lei de Cotas em empresas paulistas
Anvisa autoriza estudo para nova vacina contra a covid-19
Balança comercial registra superávit de US$ 3,99 bi em setembro
Câmara dos Deputados terá quatro parlamentares indígenas
Pfizer apresenta pedido de vacina mais forte contra variante Ômicron

Haddad chama Bolsonaro de ‘desqualificado’ para ter assumido Presidência

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O ex-prefeito da capital paulista Fernando Haddad (PT), candidato ao governo do estado de São Paulo, chamou o presidente Jair Bolsonaro (PL) de “desqualificado” ao comentar as disputas presidenciais do Brasil nos últimos anos e disse que a alternância entre PT e PSDB precisava de uma “chacoalhada”, mas não de alguém como o atual chefe do Executivo. O comentário foi feito pelo petista durante sabatina feita pelos jornais O Globo, Valor e a rádio CBN.

“Há um ano, não era óbvio para ninguém que Lula e Alckmin pudessem estar na mesma chapa. Entre uma coisa e outra aconteceu o Bolsonaro. Se não tivesse acontecido o Bolsonaro, talvez nós estivéssemos naquela boa alternância de poder PT-PSDB, que estava precisando dar uma chacolhada mesmo, mas não essa de um extremista completamente desqualificado assumir a Presidência”, disse Haddad.

Questionado a respeito das críticas que fez à gestão do ex-governador João Doria (PSDB) à frente do estado de São Paulo e, agora, da aliança formada com o ex-governador Geraldo Alckmin, que já foi filiado ao partido, o petista disse que sempre teve “relação pessoal” com o ex-tucano.

“Eu vou falar com muita sinceridade o que eu penso. Eu sempre tive uma relação pessoal com o governador Alckmin conhecida e criticada, inclusive. Diziam que Haddad se dava bem com Alckmin, faz parceria com Alckmin. E fiz muitas. Sou amigo do seu primeiro-secretário de educação, Chalita. Foi meu vice”, afirmou.

“Não dá para comparar a gestão Doria-Garcia com Alckmin”, acrescentou.

Haddad tentou chegar ao seu segundo mandato nas eleições municipais de 2016, mas perdeu a disputa para Doria.

Hoje, o petista é candidato a governador de São Paulo e lidera as pesquisas de intenções de voto. Segundo pesquisa Quaest divulgada na semana passada, tem 34% dos votos no estado.

Em segundo lugar, a sondagem registrou empate numérico entre o ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o governador Rodrigo Garcia (PSDB), ambos com 14%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Fonte: Notícias ao Minuto Brasil – Politica

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.