Drenar-GDF-300x250-GIF
Paraíba será o primeiro estado a pagar o piso nacional da enfermagem
Reservatórios do Túnel de Taguatinga estão concretados
Entidades do setor produtivo fazem ressalva a juros altos
Mortalidade prematura por câncer no Brasil deve cair até 2030
Prato Cheio libera mais de R$ 21,2 milhões em parcela de fevereiro

Fernanda Lima faz desabafo sobre maternidade: A difícil missão de ser mãe ou cuidadora nas madrugadas

A apresentadora relatou dificuldades com a filha mais nova

Algumas celebridades usam as redes sociais para falarem sobre a maternidade real. Foi o que fez a apresentadora Fernanda Lima, que compartilhou um desabafo com os seguidores do Instagram nesta quinta-feira, dia 30. 

A esposa de Rodrigo Hilbert publicou um vídeo de uma mãe que não dorme durante toda a madrugada por causa do bebês. Em seguida, Fernanda, que é mãe de três filhos, escreveu um longo texto contando a própria experiência:

A difícil missão de ser mãe ou cuidadora nas madrugadas. Tentei fazer tudo certo com a hora do sono dos meus bebês gêmeos, mas foi pesado e difícil até os oito anos [de idade] de um deles, que mesmo dormindo sozinho levantava para me chamar todas as noites. Dessa vez com a neném, também resisti ao deixa chorar que ela aprende a dormir e cá estou eu, entrando no segundo ano dela tendo que dormir longe do marido para atender as diversas chamadas dela durante as madrugadas e virando um zumbi durante o dia. Tem melhorado, sei que vai melhorar ainda mais, mas eu reparo que os estímulos durante o dia determinam muito a qualidade do sono do bebê. 

Em seguida, a apresentadora relata uma situação em que a filha não quis dormir durante a madrugada:

Pois essa noite ela fez algo que nunca tinha feito. Acordou chorando e seguiu por uns dez minutos (que pareciam 45 minutos às três da manhã). Sem deixar que eu encostasse nela, muito brava, dizia que queria passear na rua. Normalmente, ela faz isso com Rodrigo quando ele tenta dormir com ela, até ele não conseguir mais contê-la e me entregar a criança. Pois ontem pensei: o fim da linha é aqui, pois não tenho para quem entregá-la, já que ela só dorme comigo. Respirei fundo e falei: Estou aqui, tá tudo bem, agora é hora de dormir, não de passear na rua, abraça aqui a mamãe… e nada adiantou. 

Fernanda continua:

Contei o tempo de choro e quando deu perto dos dez minutos, ela já estava quase rouca e eu quase derretida. Todos os sentimentos passam na cabeça: raiva, cansaço, vontade de chorar, pena… mas respirei fundo novamente e tentei puxar ela para mim… dessa vez, já exausta, ela não resistiu. Abracei, ela se aconchegou no meu peito, e ainda soluçando pegou no sono. Fiquei ali uns 30 minutos sentindo o coraçãozinho dela disparado e agarrada naquele corpinho tão frágil e cheio de atitude. 

Por fim, ela conclui:

Hoje será mais um dia de uma mãe se arrastando pelas tabelas, mas com uma leve sensação de que fiz a coisa certa. Mas quem leva na escola hoje é o papai, mamãe vai dormir um pouco mais. Se você, mãe ou cuidadora, está se sentindo sozinha, cansada e precisando de ajuda, de troca, de informação, ou mesmo uma palavra de apoio, comente aqui sua situação e vamos juntas nos apoiar.

A seguir, veja a publicação da apresentadora:

Logo abaixo, confira as famosas que falam a real sobre maternidade!

Não é novidade para ninguém que a gravidez e a maternidade não são um mar de rosas! Em entrevistas e até nas redes sociais, diversas famosas fazem questão de desmistificar a ideia de ser uma mãe perfeita, relatando aos seguidores e fãs que também enfrentam dificuldades na maternidade. Nascida em 8 de setembro de 1979, Pink passou a falar abertamente sobre os desafios da maternidade depois de se tornar mãe. Além de abordar questões feministas na criação da filha e publicar fotos divertidas ao lado das crianças e também dos momentos como mãe, como quando precisou retirar leite com ajuda de uma bombinha para amamentar o filho, a cantora também abordou como a mulher se sente em relação ao próprio corpo após dar à luz: Sei que não estou no meu peso e nem perto de chegar a ele depois de ter meu segundo bebê, mas eu não sou obesa. A única coisa que eu me sinto sou eu mesma. Fiquem longe dos padrões, meninas, aconselhou. Mas ela não é a única a falar sobre o tema. Confira, a seguir, mais vezes em que as famosas já desabafaram sobre a maternidade real!Marcella Fogaça, mãe das gêmeas Pietra e Sophia ao lado de Joaquim Lopes, postou essa foto que você vê acima e desabafou sobre o puerpério: Hoje foi um daqueles dias que os hormônios te pegam de jeito, dão a mão pra privação de sono severa e tentam te derrubar. Acontece e tem hora que não há pensamento positivo ou reza que nos acalme o choro. Mas a gente tem que se lembrar que uma coisa a gente sempre tem: o poder de decidir. Eu estava ali, sentada no muro entre um dia de bad ou simplesmente sair correndo em direção ao sol e a um respiro. Literalmente. Saí correndo da porta do meu elevador e só parei aí na praia. Eu, meu novo corpo, minha nova vida, tomando um sopro de calma familiar... Puerpério é f**a. Tem dias que uma pena parece pesar toneladas... e tudo bem. A gente sente o que sente, mas não se apega... deixa passar e se não passar, tome a decisão de sair um pouco daquela areia movediça. Saia correndo, tome um banho, ligue uma música alta, cante, endorfine! E se perdoe, sempre! Estamos fazendo o nosso melhor a todo instante. Tudo vai passar. Que bom e que pena. ( Vou sentir saudade delas desse tamaninho, tenho certeza!) Beijo gente linda, em especial pras mamães puerperentas. Tamo juntas! #maternidadereal #maedegemeas #puerperio.Giselle Itié é mãe de Pedro Luna, de um ano de idade, e certa vez confessou que a decisão de expor o garoto, que é fruto da relação com o ator Guilherme Winter, na internet aconteceu após perceber que precisava sobreviver, principalmente por causa da pandemia do novo coronavírus. Giselle ainda falou sobre ter se tornado uma mãe solo, o que não imaginou que aconteceria quando a pandemia estourou, e ainda contou como foi a reação das amigas ao perceber que ela não se importava em se declarar mãe solo. Um baita explo, né?Ao citar que mulheres lactantes já poderiam se vacinar contra o coronavírus, Sthefany Brito citou o processo de desmame de seu primeiro filho, Enrico. Ao postar a foto que você vê logo acima, a atriz escreveu: E essa é a última foto que tenho desse nosso momento tão nosso! Só nosso! Poderiam ter mil pessoas em volta, mas ele era só nosso! Já tem um tempinho que ele pega e larga meu peito… eu insistia, conversava muito com ele, pedia pra não deixar o leitinho da mamãe! Mas ele não quis mais! Me culpei (muuuuito), chorei algumas vezes no banho e entendi que nosso ciclo se encerrou! Foi muuuiito muuuuito (mesmo) no início da amamentação! Pensei milhões de vezes em desistir, chorava enquanto ele mamava e meu peito sangrava… mas insisti! Por ele, pra ele! E hoje também por ele e pra ele, estou com meu coração tranquilo em saber que o que importa é meu filho estar saudável! E ele está (enorme, gordinho e muito gostoso!). Nosso momento amamentação acabou, mas continuam os olhares apaixonados (eu quase infarto de tanto amor), os denguinhos, os colinhos e muitos outros momentos só nossos que estamos construindo e ainda vamos construir… É só o começo de uma vida inteira e muitos momentos tão importantes quanto todos que vivemos durante a amamentação!Anteriormente, em uma live com a também atriz Carolinie Figueiredo, Giselle afirmou que, apesar dos comentários que constantemente recebe nas redes sociais, não está com depressão pós-parto: - Quando estou falando ou se escrevo um texto começo a receber comentários do tipo: Nossa, Giselle, você está depressiva, precisa procurar um médico. Não, nada contra se estivesse depressiva ou alguma coisa assim. Acontece. Mas é um ponto muito delicado você ouvir uma mãe falando do que ela sente sobre maternidade e já vir com dedos julgadores: Você está depressiva. Não. Ficar sem dormir é enlouquecedor. A artista também falou sobre o seu parto natural: - Senti muita dor. Já estava com nove centímetros e meio de dilatação, mas não sabia disso. Lembro de dizer para a minha mãe: Fala para a parteira que não vou esperar as contrações. Para mim, chega. Não nasci para isso. Porque eu já estava em contração, mas não sabia. Quando a parteira chegou e falou: Você está com nove centímetros e meio, aí eu disse: Então, tá, daqui não passo. Por fim, Itié citou as dificuldades da nova rotina: - Teve uma vez que eu não tomei café, fui almoçar só às 16 horas. Estava sozinha, minha mãe não estava aqui. Foi muito difícil.Virginia Fonseca já usou o Instagram para desabafar sobre as dificuldades que têm passado. A influenciadora digital deu à luz Maria Alice no dia 30 de maio, sua primeira filha e do cantor Zé Felipe, e confessou dua semanas depois o cansaço em cuidar da neném e que tem muito respeito por quem faz isso sem ajuda. - Eu admiro todas as mães do mundo, todas, todas, todas! E aquelas que fazem tudo sozinhas ainda, dá vontade de ajoelhar e falar: Você é f**a. Isso que tenho minha mãe, Poliana [sua sogra], tenho babá, o Zé também ajuda. Bicho, porque de coração, Nossa Senhora.Em outra ocasião, também no Instagram, ela publicou uma foto amamentando o filho e, na legenda, escreveu um poema desabafando sobre a fase do puerpério: Amar, leitar, sangrar, e por que não às vezes chorar? Desaguando estou, filho, meu Lunito. Choro ao descansar meus olhos nos seus, sentir cada respiração, sorrisos... ô, se choro. Me deságuo em amor. Esse pequenino estava dentro de mim. Estava? Fico um pouco longe de você e já sinto que falta o meu órgão mais precioso. Meu amor dos meus amores. Sabemos que passamos por muitas para estarmos aqui. Mas nada mais importa quando sinto sua pele na minha. Assim que é. Acolher, o sangrar, leitar, chorar. Desaguando de amor estou. O desabafo rendeu elogios de outras famosas, dentre elas Samara Felippo, que escreveu: Apoio e amor por você em tudo, minha amiga.E essa não foi a primeira fez que Giselle falou sobre o assunto maternidade. Ela está completamente imersa nesse mundo, mas faz questão de mostrar que nem tudo é perfeito. No Instagram, a atriz fez um outro desabafo sobre ser mãe solo, focando no quanto a mulher se sente desemparada neste cenário: A solidão de uma mãe solo é tão assustadora a ponto de estourar a alma até quebrar os ossos. (Sim, nasci no México. Não, não é drama), escreveu, incluindo a #asmaessoloprecisamesbravejar. Ela ainda respondeu o seguinte a uma de suas seguidoras na rede social: Acredito que devemos falar mais sobre isso. Pois me parece tão natural pai não se responsabilizar e mãe se sobrecarregar... que poucas falam sobre, a gente precisa arrancar essa raiz! É isso aí, né?

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *