Inflação para famílias de renda mais baixa cai 0,60%
IPCA tem deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica
Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos
Caminhoneiros recebem auxílio com parcela dobrada
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

Estado do Rio apresenta baixo risco de Covid-19 em todas as regiões 

Estado do Rio tem todas as regiões administrativas com baixo risco de Covid-19

Estado do Rio tem todas as regiões administrativas com baixo risco de Covid-19 Reprodução/Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio divulgou, nesta sexta-feira (15), a 52ª edição do mapa de risco da Covid-19. Segundo o levantamento, todas as regiões administrativas do estado estão com a bandeira amarela (baixo risco), sendo este o melhor cenário desde o início do monitoramento, em 8 de julho de 2020. 

A análise compara a semana do dia 26 de setembro a 2 de outubro com a de 12 de setembro a 18 de setembro. Nesse período, o número de internações por síndrome respiratória aguda grave caiu 40%. O de mortes por coronavírus diminuiu 39%.

De acordo com o anúncio, a melhora no panorama estadual se dá em decorrência do avanço da vacinação. O secretário de Saúde, Alexandre Chieppe, ressaltou que esta é a sétima semana consecutiva com a classificação geral do estado na bandeira amarela. 

“Importante explicar que o nosso estudo não avalia apenas internações e óbitos. O levantamento conta também com análise sobre os indicadores precoces, como a capacidade instalada da rede SUS, o número de atendimentos nas unidades de emergência e a taxa de ocupação”, destacou Chieppe.

Números da Covid-19

Os dados da SES apontam que, entre 12 de setembro e 2 de outubro, foram aplicados 2.088.923 de doses das vacinas contra o coronavírus, incluindo doses de reforço para idosos e profissionais de saúde. Com o avanço da campanha de vacinação, houve a diminuição de transmissão da doença e ocupação de leitos em hospitais, assim como na capital.

Em comparação ao mapeamento anterior, a ocupação de leitos na UTI diminuiu 4% (de 45% para 41%); e a de enfermaria, 2% (de 23% para 21%). Essas são as menores taxas desde o início deste ano. Alguns leitos estão sendo revertidos para tratamento de outras especialidades, conforme informado pela Secretaria Estadual de Saúde. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de Paulo Guilherme

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.