Aberto prazo para comprovar informações do Prouni
Movimentação de cargas portuárias cai 3,3% no primeiro semestre
Atividade econômica tem alta de 0,69%, em junho
Petrobras anuncia redução de R$ 0,18 na gasolina para distribuidoras
Começa o prazo para declarar imposto sobre propriedade rural

Uso de tênis falsificado para praticar exercícios pode acabar em fratura e rompimento de tendões

Tênis específicos para corrida são mais seguros para essa prática

Tênis específicos para corrida são mais seguros para essa prática Freepik

O mercado paralelo de tênis falsificados movimenta mais de R$ 1 bilhão por ano, conforme apurou o Boletim JR 24h, e chama a atenção pelo preço baixo com o qual os calçados são vendidos.

Mas, além da ilegalidade do comércio tornar a compra inviável, o uso dos tênis para a prática de exercícios físicos também pode causar lesões graves no pés e até mesmo fraturas.

O ortopedista Marcos Sakaki, do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), explica que os calçados apropriados para a prática das atividades são desenvolvidos para absorver o impacto e dar sustentação para os pés, com tecnologia e materiais específicos para isso, algo com o qual os falsificados não contam.

“Existem várias pesquisas para melhorar a absorção de impacto e o suporte, materiais novos que vão sendo usados para essa função. É isso que protege os pés e as articulações. Então, quando você tem um tênis que é até aparentemente igual, mas que provavelmente não usa a tecnologia desta forma, ele não vai absorver o impacto que se gera na corrida e também não vai dar uma boa sustentação para os pés, e uma série de doenças pode vir por conta disso”, afirma o médico.

Para pessoas que praticam exercícios físicos de forma regular, o uso dos tênis falsificados pode resultar em dores articulares nos pés, tornozelos, joelhos e até no quadril e na coluna. Além disso, Sakaki destaca que os tendões também sofrem com a falta de absorção de impacto, o que pode resultar em tendinites, principalmente no tendão de Aquiles, um dos principais dos pés.

“A corrida é uma atividade em que a pessoa joga o peso do corpo sobre os pés a cada passada, então gera um impacto maior, o pé bate no chão com o peso do corpo indo para cima. Então, se [o tênis] não absorver esse impacto, [os pés] transmitem isso tudo para cima”, afirma o ortopedista.

A falta de apoio e suporte adequados para os pés, por exemplo, também pode favorecer episódios de entorses, o que aumenta o risco de fraturas ou de romper algum ligamento. Segundo o especialista, o tornozelo é o principal afetado nesses casos.

“Pode ocorrer de esse impacto ir muito para o osso, o que leva à sobrecarga, então pode resultar em fraturas de estresse, causadas por esse impacto do osso batendo continuamente. Outro problema, que é bastante comum em corredores, é a chamada fascite plantar, conhecido como esporão, mas que na verdade é uma inflamação que se dá na sola do pé”, explica Sakaki.

Por outro lado, nem todos os tênis, falsificados ou não, são adequados para a prática de atividades físicas ou de impacto. O ortopedista explica que, atualmente, o modelo ideal são os chamados tênis maximalistas, que têm a sola mais grossa com grande capacidade de absorção.

“Eles têm uma sola que é meio curva, como se fosse o fundo de um barco, para permitir uma boa rolagem do pé em cima do solo. E alguns tênis, para quem busca performance, também têm placas de carbono na sola. Essa grande absorção de impacto parece ser uma característica que realmente protege os pés e que absorve o impacto, porque se investiu muito nisso, hoje todos os grandes fabricantes de tênis têm esse padrão”, ressalta Sakaki.

Faço exercícios e não emagreço. O que está acontecendo?

 

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.