Fies: pré-selecionados devem enviar informações até esta sexta-feira
Pesquisa aponta redução de 404 mil trabalhadores no comércio em 2020
Pesquisa delineia possibilidades para um segundo turno no DF
Caso seja reeleito, Ibaneis pretende manter modelo do Iges-DF
Movimentação de cargas cresce 2,3% no trimestre no Porto de Santos

Urubu x Galo: qual a origem dos apelidos de Flamengo e Atlético-MG, finalistas da Supercopa do Brasil

Lance

Lance Lance

Flamengo e Atlético-MG se enfrentam neste domingo, pela Supercopa do Brasil, em Cuiabá. Na Arena Pantanal, os dois travam disputa de dois dos melhores elencos do país. Além das estrelas em campo, os clubes também possuem seus característicos mascotes do lado de fora, o ‘Galo Doido’ e o ‘Urubão’. O LANCE! relembrou a história de como estes animais se tornaram símbolos dos clubes.

+ Ao vivo! Ex-meia Carlos Alberto faz promessa em caso de vitória do Flamengo na Supercopa

Urubu
Durante o último século, até a década de 1960, torcedores de Fluminense, Vasco e Botafogo usavam o termo Urubu para se referir aos Rubro-Negros. A associação tinha conotação racista, por conta do das cores do animal, que era comparado à torcida do Flamengo, composta em grande número por negros.

Durante as partidas, era comum ouvir os gritos de Urubu! Urubu! vindos das torcidas rivais. Fartos dessa situação, um grupo de quatro amigos resolveu aderir o apelido. Luiz Vaz, Romilson Meirelles, Victor Ellery e Erick Soledade, pegaram um Urubu no lixão do Caju e o levaram para a partida entre Flamengo e Botafogo.

Os amigos, então, soltaram o animal no Maracanã. No início, alguns torcedores ficaram com o pé atrás com receio do animal dar azar, mas naquela partida, o Rubro-Negro venceu o Botafogo por 2 a 1, e os gritos de ‘Urubu’ passaram a vir da torcida do Flamengo. Hoje é o mascote do clube, carinhosamente apelidado de ‘Urubão’.

+ Diego Tardelli relembra título pelo Flamengo, elogia Atlético-MG e arrisca placar da Supercopa do Brasil

Galo
O mascote Galo, do Atlético-MG, é ainda mais antigo que o Urubu, do Flamengo. Na década de 1930, torcedores da equipe começaram mineira adotaram o animal como mascote por conta de um galo, preto e branco, que era imbatível em rinhas, em Belo Horizonte. Mas o mascote se tornou oficial apenas em 1945.

A pedido de um editor do jornal ‘Folha de Minas’, Fernando Pierucetti, o Mangabeira, foi designado para criar um mascote para o Atlético-MG. O chargista, então, desenhou um Galo, forte e vingador, como traz o hino do clube. À época, Mangabeira afirmou que o clube ‘era o time da raça, que não se entrega e luta até morrer’.

Apenas em 1976, o primeiro mascote apareceu presencialmente, acompanhando crianças e jogadores no gramado. A partir de 2005, um novo Galo, com novas roupas e em formato de super-herói surgiu. Os torcedores o batizaram de ‘Galo Doido’. O mascote é um dos mais tradicionais do país e sinônimo do clube.

Fonte: R7 – Esportes

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Últimas Notícias:

vacina