Drenar-GDF-300x250-GIF
GDF cria grupo de trabalho para modernizar sistemas de gestão de saúde
Fachin prorroga prazo para plano de proteção de indígenas isolados
Estudo encontra dez novas espécies de leguminosas
Prioridade a pessoas idosas será indicada pelo símbolo “60+”
Nova Lei amplia idade máxima de veículos de aplicativos para 10 anos

Universidades pedem que Capes retome avaliação da pós-graduação

Universidades pedem que Capes retome avaliação da pós-graduação

Universidades pedem que Capes retome avaliação da pós-graduação Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior) afirmou nesta quinta-feira (23) que defende a retomada urgente e a continuidade da avaliação quadrienal dos programas de pós-graduação em curso. O posicionamento foi publicado após a entidade tomar conhecimento da decisão da Justiça Federal do Estado do Rio de Janeiro que determinou à Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) a suspensão da avaliação dos programas de pós-graduação em andamento. 

A decisão atendeu ação movida pelo Ministério Público Federal contra a aplicação retroativa de mudanças nos critérios de avaliação.

A Andifes lembrou que a Capes é uma fundação pública vinculada ao Ministério da Educação que, desde 1952, “tem tido atuação estratégica para o desenvolvimento do país”. Nesse período, segundo a associação, foi desenvolvido um sistema de avaliação da pós-graduação “robusto, fundamentado nas melhores práticas internacionais, por meio da revisão dos pares acadêmicos, o que tem contribuído para o avanço substancial do Brasil na pós-graduação e, consequentemente, na pesquisa científica e na inovação”.

“A consistente avaliação realizada pela entidade tem atribuído valor imensurável no que tange à qualidade e consolidação da pesquisa em todo o Brasil, de forma igualitária entre todas as instituições”, diz a Andifes, em nota.

Segundo os procuradores que entraram com a ação, o acesso aos recursos públicos federais é distorcido pela avaliação dos programas de pós-graduação com base em critérios imprevisíveis aplicados retroativamente. 

A Andifes rebateu a tese e afirmou que “inexiste a imprevisibilidade nos critérios de avaliação, conforme argumentado, tendo em vista que as mudanças em cada ciclo avaliativo são pontuais e amplamente discutidas com a comunidade científica brasileira, e adotadas com o escopo de calibrar o sistema, visando a melhoria do processo avaliativo”.

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *