Inflação para famílias de renda mais baixa cai 0,60%
IPCA tem deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica
Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos
Caminhoneiros recebem auxílio com parcela dobrada
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

SP tem retorno presencial às aulas obrigatório nesta segunda

Escolas devem manter distanciamento de 1 metro entre alunos na volta às aulas presenciais obrigatórias em SP

Escolas devem manter distanciamento de 1 metro entre alunos na volta às aulas presenciais obrigatórias em SP ANDRé LUIS FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO – 14.10.21

Estudantes de todo o estado de São Paulo devem retornar presencialmente às escolas nesta segunda-feira (18). Apenas os alunos que apresentarem atestado médico poderão acompanhar as atividades remotas. Os protocolos sanitários têm que ser mantidos, como o uso de máscara e álcool em gel e o distanciamento obrigatório de 1 metro.

Na prática, o retorno 100% presencial só deve ocorrer a partir do dia 3 de novembro, quando não será mais exigido o distanciamento seguro. Na rede estadual, por exemplo, 75% das escolas devem manter o rodízio de alunos devido à falta de espaço.

De acordo com anúncio do governo do estado, só podem permanecer no ensino remoto os estudantes que fazem parte de grupos de risco, como: gestantes e puérperas; pessoas com comorbidades com idade a partir de 12 anos que não tenham completado o ciclo vacinal contra a Covid-19; e menores de 12 anos que pertencem ao grupo de risco para a doença e/ou apresentam condição de saúde de maior fragilidade.

A obrigatoriedade das atividades presenciais é válida tanto para as escolas privadas como para as públicas. No caso da rede municipal em cidades que possuem conselho de Educação próprio, o município tem autonomia para seguir ou não a orientação da Seduc-SP (Secretaria Estadual de Educação de São Paulo).

A partir de 3 de novembro, novas mudanças passarão a ser implementadas, como a não obrigatoriedade do distanciamento de 1 metro e, por consequência, a descontinuidade do revezamento entre os alunos nas aulas presenciais, o que, na educação básica, deve ampliar o acesso e a frequência à escola para 100% dos estudantes presentes simultaneamente.

O retorno presencial ocorre, segundo a Seduc, em um momento em que a imunização alcança 97% dos profissionais de educação com esquema vacinal completo. Além disso, 90% dos adolescentes de 12 a 17 anos já tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19, o que garante, segundo a pasta, maior segurança para a retomada por completo das aulas.

Quem pode permanecer em casa:

* Jovens pertencentes ao grupo de risco, com mais de 12 anos, que não tenham completado seu ciclo vacinal contra a Covid-19;
* Jovens gestantes e puérperas;
* Crianças menores de 12 anos pertencentes ao grupo de risco para Covid-19, para as quais não há vacina contra a doença aprovada no país;
* Estudantes com condição de saúde de maior fragilidade à Covid-19, mesmo com o ciclo vacinal completo, comprovada com prescrição médica para permanecer em atividades remotas.

Quais os protocolos a serem seguidos:

* Uso correto de máscara
* Uso de álcool em gel
* Aferição de temperatura
* Distanciamento de 1 metro
* Salas arejadas e abertas
* Pessoas com sintomas não devem ir à escola

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.