Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Servidora do Hran é presa por cobrar R$ 1,5 mil para marcar cirurgia de paciente

A Polícia Civil (PCDF), através da 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), prendeu na quinta-feira (22) uma técnica de Enfermagem do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) suspeita de corrupção passiva. De acordo com as investigações, Marlenita do Nascimento Silva, 56 anos, cobrou R$ 1,5 mil de uma família para adiantar uma cirurgia de hérnia de um cidadão que estava na fila aguardando pelo procedimento.

Além de Marlenita, uma amiga dela foi presa por apresentá-la à família e intermediar a negociação fraudulenta. Esta mulher é Sônia Lopes de Sousa, 44 anos.

Segundo a 38ª DP, uma mulher contou a Sônia que possuía um irmão que estava na fila de cirurgias do Hran há cinco anos e que o homem nunca era chamado. Sônia, então, disse que conhecia Marlenita e que ela poderia ajudar a agilizar o atendimento, mas que uma taxa de R$ 1,5 mil seria cobrada pelo serviço.

A mulher disse que tinha interesse em agilizar o atendimento, e Sônia afirmou que havia surgido uma vaga para esta sexta-feira (24). Na quarta (22), a vítima foi até a casa de Sônia, na Rua 4 de Vicente Pires, para entregar o dinheiro.

A vítima percebeu que a prática era ilegal e procurou a 38ª DP para denunciar o caso. Os agentes tomaram conhecimento e prenderam Sônia. Ela colaborou com as investigações e autorizou os policiais a lerem conversas em seu celular. Após análise superficial, os agentes constataram o crime. Depois, uma equipe foi até o Hran e prendeu Marlenita.

As duas foram presas em flagrante pelo crime de corrupção passiva. Em caso de condenação, as penas podem chegar aos 12 anos de prisão. Elas permanecem à disposição da Justiça.

A PCDF divulgou o nome das acusadas para que outras pessoas que tenham sido vítimas deste esquema ilícito possam reconhecê-las e denunciá-las.

O post Servidora do Hran é presa por cobrar R$ 1,5 mil para marcar cirurgia de paciente apareceu primeiro em Jornal de Brasília.

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *