Decreto regulamenta crédito consignado no Auxílio Brasil
Setor de serviços cresceu 0,7% em junho, aponta pesquisa
Conab estima safra de grãos em 271,4 milhões de toneladas em 2021/22
Desemprego registra queda em 22 unidades da federação
Pesquisa indica queda de 2% no abate de frangos no país

Rainha Elizabeth II cancela planos de Natal; entenda!

Em meio aos riscos da pandemia, a monarca cancelou o Natal em Sadringham

A Rainha Elizabeth II quebrou as tradições e cancelou o Natal em sua casa de campo em Sandringham. De acordo com o Daily Mail, na última segunda-feira, dia 21, a monarca desistiu de passar o feriado com a família na propriedade em Norfolk, optando por ficar no castelo de Windsor, onde tem vivido durante a pandemia de Covid-19.

Segundo o jornal, a senhora de 95 anos de idade esperava passar o primeiro Natal desde a morte do príncipe Philip cercada por seus entes queridos na propriedade de Norfolk, muito amada por ela e seu falecido marido. Contudo, após cuidadosa consideração e em meio a temores sobre um aumento nos casos de Covid-19 no Reino Unido, a rainha teve que mudar os planos. Uma fonte real informou ao veículo que ela deveria viajar para Norfolk na quarta-feira, mas não fará mais a viagem. Ela receberá visitantes em Windsor e as diretrizes apropriadas serão seguidas.

Este é o segundo ano consecutivo em que a monarca é forçada a alterar as suas tradições de Natal. Já em 2020, também por causa da pandemia Elizabeth II passou a época festiva no castelo de Windsor com o marido, depois de completarem 73 anos de casados. Os membros da família real fizeram de Sandringham sua base para o Natal e o Ano Novo desde 1988, com a Rainha tradicionalmente retornando a Londres ou Windsor no aniversário da morte de seu pai em 6 de fevereiro.

As comemorações deste ano foram reduzidas em uma tentativa de proteger a rainha vacinada triplamente contra o vírus. Como você viu aqui no ESTRELANDO, já havia sido anunciado que a grande refeição familiar pré-natalina, oferecida por ela à dezenas de pessoas em Windsor, não aconteceria. As decisões são um reflexo do atual estado de preocupação que o país atravessa, por causa da pandemia e, mais especificamente, a variante Ômicron.

Fonte: R7 – Pop

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.