Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Polícia pede a prisão de dois suspeitos pela morte de empresário nos Jardins, em SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Dois suspeitos que estariam envolvidos no roubo seguido de morte do empresário Leonardo Iwamura, 42 anos, no último dia 10, na região da rua Oscar Freire, via conhecida pelas lojas de luxo no centro de São Paulo, foram identificados e tiveram as prisões temporárias decretadas pela Justiça. A informação foi confirmada pelo 78º DP (Jardins), que investiga o caso.

Iwamura e outras 11 pessoas foram vítimas de roubos de celular, à época, na região do Jardim Paulista. Além dos dois identificados, um adolescente suspeito de envolvimento no crime foi apreendido no mesmo dia do latrocínio.

O adolescente pilotava uma moto Honda CG branca, sem placa, e tentou fugir ao perceber a aproximação da polícia.

De acordo com a polícia, ele confirmou ter roubado o veículo havia dez dias e disse que estava com um comparsa praticando roubos pela região da avenida Paulista. O garupa da moto e outro suspeito conseguiram fugir -ambos permaneciam foragidos até a publicação desta reportagem.

Na ocasião do arrastão, policiais militares faziam patrulhamento quando foram acionados para atender a uma ocorrência de disparo de arma de fogo. Ao chegarem no local, encontraram Iwamura ferido. O resgate foi acionado para socorrê-lo, levando-o até o Hospital das Clínicas, onde ele morreu.

Flores foram colocadas em frente à cafeteria de Leonardo Iwamura, na alameda Ministro Rocha Azevedo, nos Jardins, região central da capital paulista, em homenagem ao empresário, após o latrocínio.

Além das homenagens, cartazes pedindo mais segurança também foram afixados em frente ao comércio, que permaneceu fechado após o crime, em luto pela morte da vítima, conhecida na região como “Japa”.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) afirmou, nesta quarta, que além do 78º DP, policiais do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos) e do Dope (Departamento de Operações Policiais Especiais), dão apoio para prender a dupla foragida.

A capital paulista registrou aumento de 25% no número de pessoas mortas durante assaltos, quando comparados os 28 casos de janeiro a julho do ano passado aos 35 latrocínios do mesmo período de 2021.

Das 35 pessoas mortas durante assaltos na capital paulista, ainda nos sete primeiros meses deste ano, 18 foram assassinadas na zona sul da cidade, segundo dados da SSP (Secretaria da Segurança Pública), representando 51% do total.

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *