Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Plataforma digital promete acelerar licenciamento ambiental no Distrito Federal

O Sisdia é a plataforma de inteligência ambiental-territorial do DF e tem o objetivo de promover eficiência ao processo, além de efetividade no monitoramento, controle e fiscalização do território

Foi lançada, nesta terça-feira (5), a segunda fase do Sistema Distrital de Informações Ambientais (Sisdia). A iniciativa faz parte do Projeto CITinova, realizado pela Secretaria de Meio Ambiente do DF (Sema). Esse momento do projeto é referente ao processo de estruturação da plataforma e investirá no desenvolvimento e na implementação dos três primeiros módulos especialistas: de Sustentabilidade, e-Normas e Big Data.

O pontapé na segunda fase da plataforma foi dado em videoconferência, com a participação do secretário da pasta, o secretário Sarney Filho; a subsecretária de Gestão Ambiental e Territorial da Sema, Maria Sílvia Rossio; e o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Leandro de Oliveira. Segundo os gestores, a fase 2 do Sisdia, o Módulo Especialista de Sustentabilidade, disponibilizará gratuitamente uma matriz lógica que embasará uma “calculadora”. Será possível ajustar as variáveis e os parâmetros de projetos, buscando maximizar a preservação e a mitigação dos impactos aos serviços ecossistêmicos.

Já o Módulo Especialista e-Normas tem o objetivo de dar acesso às normas e diplomas legais mais relevantes para o DF, auxiliando os gestores responsáveis pelos atos autorizativos, as áreas jurídicas do GDF, os planejadores, os órgãos de controle, os demais Poderes e a sociedade.

Já o terceiro e último módulo, o Big Data, ampliará a base atual de dados estruturados com dados não estruturados – como notícias de jornais, por exemplo. A expectativa é de que essa coleção de informações trará maior celeridade ao licenciamento ambiental e urbanístico com a produção de dados em escalas mais próximas do território.

O portal

Entre maio e setembro, segundo dados da Sema, o portal, construído em três idiomas, teve em média 4.500 acessos por mês; os Geoserviços, 43 mil mensais; e o repositório por meio do Sistema de Informações Geográficas (SIG) totaliza 176 mil acessos mensais. Foi consultado por 184 municípios brasileiros e por 30 países, além do Brasil.

Desde o lançamento do portal do Sisdia, foram capacitados representantes de 72 instituições: 29 do Governo do Distrito Federal (GDF); 18 da sociedade civil; 10 de órgãos federais; oito de instituições parceiras (órgãos de classe, sindicatos, institutos, entre outros); cinco da Academia; do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT).

* Com informações do GDF 

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *