Economia Vendas do comércio crescem 0,4% de setembro para outubro, diz IBGE
Sonho de Copa: filha usa camisa autografada do Brasil pentacampeão em 2002 para ajudar a mãe se reerguer
POPHAUS: O MAIOR PARQUE DE INFLÁVEIS DA AMÉRICA LATINA CHEGA A BRASÍLIA
Safra de grãos 2022/23 é estimada em 312,2 milhões de toneladas
Atleta patrocinado por empresa de Brasília compete hoje (8) na 4ª edição do Desafio Delta do Parnaíba/Ultra

Piloto do acidente com Emiliano Sala não foi autorizado a voar

Depois de boas atuações na França, Sala foi contratado pelo Cardiff, do País de Gales

Depois de boas atuações na França, Sala foi contratado pelo Cardiff, do País de Gales Reprodução / Twitter

A dona do avião que transportava Emiliano Sala, que morreu após queda da aeronave no mar, disse que havia proibido o piloto, David Ibbotson, de pilotar, em recado enviado por email, sete meses antes do acidente, em 2018.

Segundo o jornal Le Équipe, a proprietária, Fay Keely, falou sobre a mensagem durante o julgamento de um dos pilotos, David Henderson, que teve início nesta terça-feira (19), em Cardiff.

Keely disse que enviou o email em julho de 2018 para David Henderson pedindo que ele não confiasse um voo ao piloto David Ibbotson, após duas violações relatadas pela CAA (Autoridade Britânica de Aviação Civil).

Ainda de acordo com a proprietária, Henderson ignorou o email. Keely também explicou que não havia dado permissão a Henderson para nomear Ibbotson como o piloto do voo que levou à morte de Emiliano Sala, ex-jogador do Nantes da França, e que seria apresentado ao seu novo clube, o Cardiff, do País de Gales.

Barça vence sem brilho e é 3º; veja outros destaques da Champions

Fonte: R7 – Esportes

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *