Brasília se enche de branco e dourado para anunciar 2023
Cerca de 30% da população estavam em situação de pobreza em 2021
Saúde Após dois anos de covid, um em cada quatro jovens não estuda
Após dois meses de queda, indústria cresce 0,3%, revela IBGE
Bloqueio no orçamento das universidades federais é suspenso

Pfizer vai entregar 8 milhões de doses ao ministério até domingo

Chegada de lote com 1.140.750 de doses de vacina da Pfizer na terça-feira (14)

Chegada de lote com 1.140.750 de doses de vacina da Pfizer na terça-feira (14) UPS/ALF TV VCP

A Pfizer anunciou que vai entregar 8.463.780 de doses de vacina contra covid-19 ao Ministério da Saúde até domingo (19). Os lotes serão divididos em oito voos que sairão do Aeroporto Internacional de Miami, nos Estados Unidos, com destino ao Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas.

Esta entrega teve início na noite de terça-feira (14), com um lote de 1.140.750 de doses. No último domingo (12), a farmacêutica já havia entregue 5.181.930 de doses, maior remessa de vacinas em um único dia – chegaram em quatro voos. Com esse lote de terça-feira (14), o total entregue ao governo brasileiro foi de 73,6 milhões de doses.

A Pfizer vem entregando ao menos 1 milhão de doses quase diariamente (terça, quarta, sexta e domingo) ao governo federal desde o início de agosto. Além de indicada como primeira opção de aplicação como terceira dose pelo Ministério da Saúde, a vacina é a única autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para aplicação em adolescentes, entre 12 e 17 anos, que já está sendo realizada.

O acordo assinado entre o governo e a Pfizer prevê a entrega de um total de 200 milhões de doses até o fim do ano. 

Butantan finaliza entrega de 100 milhões de doses

O Governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (15) que finalizou a entrega das 100 milhões de doses da vacina CoronaVac contratada pelo governo federal. A projeção para esse fornecimento era final de agosto. O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB) durante entrevista coletiva à imprensa.

A mudança de cronograma foi justificada pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, como consequência do “descredenciamento” do Ministério da Saúde com relação à vacina.

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *