Petrobras: preço do querosene de aviação cai 0,84% a partir de sábado
Drones ajudarão na fiscalização contra crimes eleitorais no DF
Taxa média de juros cai em agosto, mas segue tendência de alta
Dia Mundial do Coração
Distrito Federal suspende aulas na próxima sexta-feira

Operação da PCDF mira suspeita de corrupção na Secretaria de Turismo

Polícia Civil recolheu documentos nas estações de trabalho de funcionários da Setur-DF

Polícia Civil recolheu documentos nas estações de trabalho de funcionários da Setur-DF Jéssica Moura/R7

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, na manhã desta terça-feira (21), a Operação Eldorado, que apura suspeitas superfaturamento em contratos da Secretaria de Turismo do Distrito Federal.

As investigações são conduzidas pela Delegacia de Repressão à Corrupção (Decor). Os agentes cumprem oito mandados de busca e apreensão na sede, que fica no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Desses, sete são em endereços do Distrito Federal e um no Entorno. 

Os indícios de crimes começaram a ser apurados em maio deste ano depois de uma denúncia anônima. O relato apontava que, nas contratações para execução de serviços na secretaria, teria sido indicado nos documentos um perímetro maior do que aquele efetivamente usado. Com isso, a contratação ficava mais cara.

Indícios de crimes
Com as provas colhidas até agora, a PCDF sustenta que um dos contratos se refere à realização de serviços de lavagem e desinfecção em Centros de Atendimento a Turistas (CATs). A diferença apontada pelos agentes foi de 273% entre a área total dos CATs e o tamanho indicado nos contratos para higienização, o que despertou a desconfiança da polícia.

Outra suspeita é em relação às compras feitoas pelo órgão. Os valores chamaram a atenção dos policiais por serem muito superiores aos praticados em outros processos de compra. Nesse caso, a diferença foi de 2000% no contrato de 2020, em comparação com um acordo parecido firmado no ano anterior para controle de pragas urbanas, como dedetização, desinsetização, desratização, descupinização, controle e manejo de pombos.

O nome da operação é uma referência à cidade de El Dourado. A lenda diz que ela estaria situada na América do Sul e guardaria um enorme tesouro em ouro, o que atraiu invasores europeus. Contudo, a cidade nunca existiu.

Por volta das 9h30, a Polícia Civil deixou a Secretaria de Turismo com um malote de anotações e documentos recolhidos nas estações de trabalho de funcionários. 

Procurada para comentar o caso, a secretaria ainda não se manifestou sobre o assunto.

Aguarde mais informações.

 

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.