Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Opas vê recuo da covid na América do Sul por ciclo da doença e vacina

Região vive queda de casos de covid-19, ao contrário da América do Norte

Região vive queda de casos de covid-19, ao contrário da América do Norte Ivan Alvarado/Reuters

A Diretora da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), braço da OMS (Organização Mundial da Saúde) no continente, Carissa Etienne observou, em coletiva à imprensa nesta quarta-feira (14) que a maioria dos países da América do Sul vê declínio no número de casos e mortes por covid-19.

O movimento, no entanto, vai na contramão das Américas, que registraram um aumento de quase 20% em novo casos da doença, segundo a diretora.

O gerente de incidentes da Opas, Sylvain Aldighieri, afirma que a queda nos casos na América do Sul se dá por vários fatores.

Entre eles, Aldighieri citou o fato dos picos de transmissão terem ocorrido no primeiro trimestre, a sazonalidade da doença e a cobertura da vacinação. Ele ainda citou o Brasil como um dos países cuja cobertura está “muito boa” e segue aumentando.

Segundo a Opas, mais de 30% das pessoas na América Latina e Caribe foram totalmente vacinadas contra a covid-19.

“Ainda que a cepa Delta [do coronavírus] tenha sido detectada em todos os países da América do Sul que falam espanhol ou português, em vários a variante Gama segue predominante”, disse Aldighieri, que definiu o cenário como “complexo”.

Em todas as Américas, Ettiene mencionou que houve 1,4 milhão de casos e 23,3 mil mortes por covid-19 na última semana.

Na América do Norte, as infecções aumentaram em um terço devido a picos nos EUA e Canadá, informou a diretora.

“Os EUA estão notificando mais de 100 mil novas infecções diárias pela primeira vez desde janeiro e a capacidade hospitalar em muitos estados do sul continua preocupantemente baixa”.

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *