Campanha de vacinação contra a pólio termina nesta sexta-feira
Mercado financeiro reduz projeção da inflação de 6% para 5,88%
Ninguém acerta as seis dezenas e Mega-Sena acumula em RS 200 milhões
Fuvest prorroga inscrições do vestibular
BC estabelece limite de cobrança de taxas nas máquinas de cartão

Ministério estuda qual é a melhor vacina para reforço, diz interino

Queiroga está bem e sem sintomas, segundo interino

Queiroga está bem e sem sintomas, segundo interino WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O ministro interino da Saúde, Rodrigo Cruz, informou que a Pasta estuda qual é o melhor imunizante para a dose de reforço da vacina contra a Covid-19. Cruz conversou com a imprensa na saída do ministério no fim da tarde desta quarta-feira (29).

“Está sendo feito um estudo para saber qual é o melhor imunizante para reforço, mas sempre com troca de tecnologia. No começo do ano, existiu a intenção de [compra de] mais 30 milhões de doses do Butantan. Mas já temos doses suficientes, e o reforço é sugerido com outra tecnologia de vacina”, disse.

De acordo com o interino da Saúde, “está sendo realizado um estudo com os quatro imunizantes utilizados para saber a resposta imunológica”. Ele ainda ressaltou que não existe perspectiva de novos contratos com o Instituto Butantan para este ano. “O Ministério da Saúde celebrou dois contratos com o Butantan. O primeiro para 46 milhões de doses. O segundo para 54 milhões. Os contratos atuais são suficientes para a demanda.”

Segundo ele, há um cenário mais tranquilo em relação à imunização e disponibilização de vacinas em 2022. “Priorizamos as vacinas que têm registro definitivo na Anvisa. De concreto para 2022, temos a vacina Astrazeneca produzida com IFA nacional”, declarou.

Rodrigo Cruz está à frente da Pasta enquanto Marcelo Queiroga se recupera de uma infecção pela Covid-19. O interino informou que Queiroga está bem, sem sintomas e se comunicando com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

“O protocolo americano e o brasileiro preveem 14 dias de isolamento após os sintomas ou dez dias após o exame que deu resultado positivo. O teste de Queiroga foi coletado na segunda-feira passada. Ele vai se submeter a outro exame antes do final de semana”, detalhou.

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.