Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Luan Peres não acredita em rebaixamento do Santos e fala em “dívida” com o clube

Lance

Lance Lance

O Santos anunciou a contratação de Luan Peres em agosto de 2019. Desde então, o jogador ganhou a torcida santista e os treinadores que no Peixe estiveram. O sucesso foi tão grande que, em fevereiro de 2021, a gestão do clube liderada por Andres Rueda “comprou” o atleta em definitivo, pagando cerca 3 milhões de euros (R$ 20 mi), em parcelas, ao Brugge (BEL).

Mas o casamento durou pouco. A pedido de Jorge Sampaoli, ex-técnico santista e atual treinador do Olympique de Marseille, da França, o jogador se transferiu para o futebol Europeu. Os valores giraram em torno de 4 milhões de Euros (cerca de R$ 25 milhões) pelos 70% a que o Santos tinha direito.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE, o atual dono da camisa 14 do time francês, comentou sobre o trabalho com o antigo treinador e revelou ter conversado sobre em Santos em sua chegada.

– A gente conversou um pouco quando eu cheguei, inclusive pelo momento que o Santo vive. Mas está sendo muito bom trabalhar com ele, um grande treinador, sempre bom trabalhar com grandes treinadores. Já tive uma boa experiência com ele no Santos, e agora também. Espero que a gente possa triunfar aqui – disse Luan Peres.

Luan Peres falou sobre a difícil decisão de deixar o Santos. Segundo ele, o principal motivo da saída – além do desejo de voltar a Europa – foi a boa fase que atravessava e a possibilidade de sair do Alvinegro Praiano pelas portas da frente.

– Não foi fácil a decisão. Eu tinha essa ambição de poder voltar para Europa em outras condições, dessa vez para poder ir super bem, realmente jogar, me sentir bem, poder jogar contra grandes equipes e grandes campeonatos, isso pesou muito. Voltar para um time grande, bom, um time aqui na França que é um dos maiores. Mas claro que não foi fácil pelo fato de estar muito feliz no Santos, estava muito bem, mas depois de dois anos eu achei que era o momento ideal para poder sair, eu tinha portas abertas para se eu precisasse voltar. Pelo que eu estava fazendo, ninguém saberia o dia de amanhã, se eu estaria bem como eu estava quando saí. Então achei que era o momento ideal para sair bem com a torcida, bem comigo mesmo, sabendo que eu fiz um grande trabalho nos dois anos que estive lá. Mas desde que eu saí, sempre me dá saudade, sempre penso em voltar – comentou.

Má fase do Santos:

– Não tenho medo de rebaixamento. Esse time é gigante e a camisa é pesada. Momentos ruins acontecem, inclusive quando eu estive aí, situações não tão boas, e conseguimos passar. Tenho certeza de que dessa vez vão reverter essa situação.

Atual zaga do Santos e técnico Fábio Carille:

– O Wagner Leonardo é um jogador que estava comigo, foi emprestado, pediram a volta porque estava muito bem no Náutico, primeiro lugar na Série B. É um grande jogador, que conseguiu pegar uma rodagem, experiência. Voltou para o Santos e está se encaixando. Já o Danilo Boza, cheguei a trabalhar com ele, zagueiro muito técnico. O Velazquez eu não o conheço, mas todos falam muito bem. A zaga está bem servida e o Carille é um treinador que entende muito defensivamente, é um dos melhores. Então só dar tempo para trabalhar com eles e vai dar tudo certo.

Volta ao Santos e dívida com o clube:

– Sim, tenho vontade de voltar. A cidade é maravilhosa, me senti em casa tanto na cidade quanto no clube. Fico muito feliz pela torcida, sempre esteve ao meu lado. Foram dois anos que sempre pude brigar por títulos. Fomos vice-campeões brasileiros e da América, claro que não queríamos ser vices, mas chegamos nas competições. Ainda sinto que devo um título ao Santos e quero um dia voltar e conquistar um título de expressão. Como eu sempre falo, é um time que me marcou muito, que sou torcedor. Eu só tenho boas lembranças e boas intenções. Fui muito feliz e sou muito feliz quando lembro das coisas, da saudade. Só gratidão por esse clube maravilhoso.

Adaptação ao futebol francês:

– Adaptação vem sendo muito boa. Acho que consegui rapidamente desde os primeiros amistosos. A própria imprensa disse que eu estava me adaptando muito bem, acho que muito pelo nosso treinador Sampaoli, por já ter trabalhado com ele, e por ter muitos jogadores Sul-americanos, então isso ajuda bastante – finalizou.

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *