Drenar-GDF-300x250-GIF
Paraíba será o primeiro estado a pagar o piso nacional da enfermagem
Reservatórios do Túnel de Taguatinga estão concretados
Entidades do setor produtivo fazem ressalva a juros altos
Mortalidade prematura por câncer no Brasil deve cair até 2030
Prato Cheio libera mais de R$ 21,2 milhões em parcela de fevereiro

Itália é a primeira finalista do Mundial de Beach Tennis

Lance

Lance Lance

Maior campeã mundial do Beach Tennis, a Itália está de volta à final do ITF Beach Tennis World Cup realizado pela primeira vez na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. A decisão será neste domingo às 19h contra Brasil ou Federação Russa de Tênis que jogam ainda na noite deste sábado.

Os italianos superaram a Espanha por 3 a 0. No primeiro embate na quadra central da arena montada no Posto 2, Giulia Gasparri e Ninny Valentini confirmaram o favoritismo diante de Eva Palos e Sabrina Lopez por 6/1 6/4. São 31 vitórias e apenas duas derrotas da parceria na temporada. Na sequência, a lenda Marco Garavini voltou ao time após ser poupado na sexta-feira e jogando ao lado de Marco Faccini derrotou o número 4 do mundo, Antonio Ramos, e o 10º colocado, Gerard Querol por 7/6 (7/5) 6/4. Os espanhois chegaram a ter quebra no meio do primeiro set, os italianos viraram, sacaram em 6 a 5, mas a definição veio apenas no tie-break. No segundo, uma quebra no oitavo game fez a diferença. A dupla mista finalizou o confronto com Sofia Cimatti e Mattia Spoto derrotando Saulo Tejada e Ganesha Diaz por 4/1 4/0.

A Itália jogará sua oitava final em nove edição. O país tem títulos em 2012, 2014, 2015 e 2017 e busca recuperar a coroa que o Brasil tomou nas duas últimas edições em 2018 e 2019.

“Partida muito complicada, Antonio e Gerard formam uma dupla mais forte , ganharam torneio Europeu. Primeira vez que joguei com o Faccini, vencemos em dois sets , foi uma boa partida, ganhamos em dois sets e agora estamos mais quentes para a final amanhã”, disse Garavini, duas vezes campeão mundial e que tem 61 títulos no esporte.

“Foi uma partida muito louca, primeiro set muito apertado , jogamos melhor no segundo e estamos muito felizes por jogar essa final”.

Garavini mantém o sonho de enfrentar o Brasil na decisão: “(Brasil e Federação Russa) são duas equipes que têm jogadores bem fortes, eu prefiro jogar com o Brasil pois me encanta jogar com a torcida brasileira e também gosto de jogar sem ser o favorito”.

Fonte: R7 – Esportes

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *