Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Índia recomenda vacina Covaxin a crianças a partir de 2 anos

A Índia recomendou o uso emergencial da vacina Covaxin em crianças a partir de 2 anos

A Índia recomendou o uso emergencial da vacina Covaxin em crianças a partir de 2 anos Divulgação/Bharat Biotech

A Índia recomendou nesta terça-feira (12) o uso emergencial da vacina contra a Covid-19 da Bharat Biotech na faixa etária de 2 a 18 anos, no momento em que o segundo país mais populoso do mundo expande sua campanha de vacinação para incluir crianças.

Reino Unido libera entrada de brasileiros vacinados

O país vacinou totalmente cerca de 29% dos 944 milhões de adultos elegíveis, de acordo com dados do governo, o que inclui a aplicação de mais de 110 milhões de doses da Covaxin, da Bharat Biotech.

A empresa, no entanto, ainda está em processo para garantir o nome de sua vacina em uma lista de uso emergencial da Organização Mundial da Saúde, uma decisão que é esperada para o fim deste mês.

Sem a aprovação da OMS, a vacina de duas doses dificilmente será aceita como um imunizante válido em todo o mundo.

Vários países têm trabalhado para autorizar vacinas para crianças. Os Estados Unidos liberaram o imunizante da Pfizer para crianças a partir de 12 anos, e o painel consultivo do órgão regulador dos EUA se reunirá no fim deste mês para discutir a vacina para o público 5 a 11 anos.

Embora a Covid-19 seja conhecida por geralmente causar doença leve em crianças, existe o risco de complicações raras pós-doença.

“Crianças com comorbidades devem ser vacinadas o mais rápido possível, agora que uma vacina com imunogenicidade em crianças e um grande banco de dados de segurança em adultos estão disponíveis”, disse o dr. Gagandeep Kang, professor do Christian Medical College.

 

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *