Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

Identificado último corpo de vítima de família assassinada no DF; total é de 10

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) identificou nesta quarta-feira, 25, por meio de exame de DNA, que o terceiro corpo encontrado em Planaltina, no Distrito Federal, na madrugada de terça-feira, 24, é de Ana Beatriz Marques de Oliveira, de 19 anos, filha de Marcos Antônio Lopes e irmã de Thiago Gabriel Belchior, por parte de pai. Era a última integrante do grupo de dez pessoas que faltava ser identificada. Com isso, a polícia conclui que todos os familiares foram assassinados.

“A identificação foi confirmada pelo Instituto de Pesquisa de DNA Forense (IPDNA)”, disse o delegado-chefe da 6ª DP (Paranoá), que investiga o caso, Ricardo Viana. No entanto, antes mesmo da confirmação, já havia a informação de que se tratava de uma adolescente do sexo feminino.

Na madrugada da última terça-feira, 24, o corpo de Thiago Gabriel Belchior, marido da cabeleireira Elizamar, foi encontrado dentro de uma cisterna, junto com outras duas mulheres no município de Planaltina, no Distrito Federal. No mesmo dia, no período da tarde, foi confirmado que dois dos corpos achados eram mesmo de Thiago e de Cláudia Regina Marques de Oliveira, ex-esposa de Marcos Antônio. Faltava, até então, a confirmação da identidade do terceiro corpo.

Relembre o caso

A cabeleireira Elizamar foi vista pela última vez no dia 12 de janeiro. Junto com três filhos menores do casal – um menino de 7 anos e os gêmeos de 6 anos -, ela foi à cidade de Paranoá para se encontrar com Thiago, que estava na casa dos pais dele.

No dia seguinte, o carro de Elizamar foi encontrado carbonizado com quatro corpos dentro, em Cristalina, Goiás. Por meio de exames de DNA e da arcada dentária foram identificados os corpos da cabeleireira e dos três filhos, Rafael e Rafaela, de 6 anos, e Gabriel, de 7 anos, em 19 de janeiro.

No dia 18 de janeiro, um corpo foi encontrado esquartejado na casa em Planaltina que teria servido de cativeiro para parte da família. Após a identificação também no dia 19, a polícia divulgou que se tratava de Marcos Antônio, sogro de Elizamar e pai do Thiago.

No dia 14 de janeiro, o carro de Marcos Antônio, pai de Thiago, também foi encontrado carbonizado com mais dois corpos dentro, na cidade de Unaí, em Minas Gerais. Segundo laudo divulgado na última terça-feira, os restos mortais são de Renata Juliene Belchior, de 52 anos, sogra de Elizamar e mãe do Thiago, e de Gabriela Belchior de Oliveira, de 25 anos, cunhada de Elizamar e irmã do Thiago, desaparecidas no mesmo dia.

Na madrugada da última terça-feira, a PCDF encontrou mais três corpos, dois deles foram identificados no mesmo dia sendo de Thiago e de Cláudia. Já o laudo sobre Ana Beatriz, última vítima identificada, saiu nesta quarta-feira.

Prisões

No dia 17 de janeiro, a PCDF prendeu Horácio Barbosa, Gideon Batista de Menezes e Fabrício Silva Canhedo pelos crimes de extorsão qualificada pelo resultado morte e associação criminosa.

Segundo a polícia do DF, eles teriam recebido R$ 100 mil pelos crimes e Horácio indicou a participação de Thiago e Marcos nas mortes. Havia ainda a suspeita de que eles teriam fugido com a ex-mulher de Marcos e a filha deles.

No dia seguinte, 18, foi confirmada a prisão de mais um envolvido. Trata-se de um homem de 34 anos, que teria participado da vigilância das vítimas, enquanto estas eram mantidas em cárcere em Planaltina, também no Distrito Federal.

A divergência entre os grupos teve início com as linhas investigativas. Enquanto a PCDF seguia apurando fatos do testemunho de Horácio Barbosa de que os crimes tinham sido encomendados por Marcos Antônio e Thiago, a PC de Goiás acreditava na tese de sequestro ou falso sequestro e que todos estariam mortos. A identificação do corpo de Marcos Antônio reforçou a tese da polícia goiana.

Um quarto suspeito chamado Carlomam dos Santos Nogueira ainda é procurado pela polícia por envolvimento no crime. Fonte: Notícias ao Minuto Brasil – Justiça

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *