Drenar-GDF-300x250-GIF
GDF cria grupo de trabalho para modernizar sistemas de gestão de saúde
Fachin prorroga prazo para plano de proteção de indígenas isolados
Estudo encontra dez novas espécies de leguminosas
Prioridade a pessoas idosas será indicada pelo símbolo “60+”
Nova Lei amplia idade máxima de veículos de aplicativos para 10 anos

Governo trabalha em novos bairros e na regularização de 24 mil imóveis

A criação de novos bairros e a regularização de 24 mil imóveis estão nos planos do governo para os próximos quatro anos. Fazem parte do planejamento a ser executado pela Agência de Desenvolvimento (Terracap) o lançamento do Jóquei Clube e novas áreas em São Sebastião e Santa Maria, além da venda de lotes em Vicente Pires e outras cidades.

O governo trabalha na criação de um novo bairro em São Sebastião, próximo ao Jardim Botânico | Foto: Arquivo/Agência Brasília

É o que explica o presidente da Terracap, Izidio Santos, ao falar das ações apresentadas na comissão de transição, grupo criado para tratar do planejamento de governo. “A venda de lotes sempre foi o maior negócio da Terracap. Vamos buscar agora a expansão de novos bairros, a exemplo do Jóquei Clube, e uma expansão futura do Noroeste, além de outros que já existem para continuarmos comercializando os lotes”, afirma Izidio Santos. Além dos citados, o governo trabalha na criação de um bairro em São Sebastião, próximo ao Jardim Botânico, e outro no Setor Meireles, em Santa Maria.

No âmbito da regularização, a venda de lotes em Vicente Pires estará no centro das atenções para os próximos anos. Isso porque, um acordo do GDF com a União transferiu as duas glebas do governo federal para que o governo local leve adiante a regularização dos terrenos. “Temos um plano nesses quatro anos de regularizar cerca de 24 mil imóveis, sendo 16 mil em Vicente Pires nas áreas que são da União. Também vamos fazer a regularização em Arniqueira, no Jardim Botânico e outros”, detalha Izidio Santos.

Dessa forma, segundo o presidente da Terracap, o governo ganha por encaminhar a lógica correta de urbanização. “Assim podemos começar um bairro aprovado, com infraestrutura, e não fazer a regularização de uma ocupação irregular”, acrescenta.

 

Cidadania

Além da questão da urbanização, a cidadania também é apontada como um fator essencial para que os moradores percebam a importância de serem proprietários de um terreno, conforme observa o secretário de Governo, José Humberto Pires de Araújo. “É importante para financiar a própria obra de infraestrutura que você faz no local para dar dignidade às pessoas, mas além do financiamento por conta do preço que é cobrado na hora da regularização, você tem um outro aspecto muito importante que é a cidadania. É a pessoa que comprou. Ela mora, ela vive e pode dormir em paz, porque a casa dela está no nome dela, o lote está no nome dela, isso é que importa”, afirma José Humberto.

 

*Fonte: Agência Brasília

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *