Brasília se enche de branco e dourado para anunciar 2023
Cerca de 30% da população estavam em situação de pobreza em 2021
Saúde Após dois anos de covid, um em cada quatro jovens não estuda
Após dois meses de queda, indústria cresce 0,3%, revela IBGE
Bloqueio no orçamento das universidades federais é suspenso

Entenda como os autotestes de Covid vão funcionar no Brasil

Autoteste de Covid: entenda como funcionará a estratégia no Brasil

Autoteste de Covid: entenda como funcionará a estratégia no Brasil Alto Astral

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou, nesta sexta-feira (28), o uso e venda de autotestes de Covid-19, que servirão como uma estratégia de triagem e complementação à política de testagem já adotada no Brasil. Por não serem capazes de apresentar um diagnóstico da doença, os exames não poderão ser usados para validar viagens internacionias ou garantir um atestado médico.

Diante de um resultado positivo, portanto, o indivíduo precisará recorrer a uma unidade de saúde ou ao teleatendimento, a fim de complementar o diagnóstico e receber o correto encaminhamento médico e sanitário. Cabe ao profissional de saúde avaliar o infectado, completar o diagnóstico, tratar o indivíduo e instrui-lo para o isolamento, além de registrar o novo caso nos sistemas oficiais do ministério.

“A disponibilização do autoteste na rede de drogarias, farmácias e distribuidoras de
medicamentos é uma ferramenta importante para expandir a testagem para Covid-19 em todos os municípios do Brasil, como estratégia adicional ao teste rápido já realizado na rede do SUS”, detalha o Ministério da Saúde. A pasta defende que, com o próprio indivíduo se testando e, caso seja positivo, “aumenta-se a identificação dos casos de Covid-19 e a realização do autoisolamento”. 

No PNE-Teste (Plano Nacional de Expansão da Testagem para Covid-19), o ministério prevê uma campanha como objetivo de “informar, orientar, e mobilizar a população brasileira sobre a importância da testagem de pessoas sintomáticas e assintomáticas, a fim de monitorar a situação epidemiológica e direcionar os esforços na contenção da pandemia no território nacional”.

As propagandas estão previstas em rede nacional e canais de televisão abertos, além de rádio, sites, outdoors e veículos impressos. Na atualização do PNE-Testes, disponível pelo site do ministério, há, ainda, detalhamento de como o profissional de saúde deve proceder para acolher um indivíduo com o resultado positivo pelo autoteste e garantir a inclusão dos dados no sistema nacional. 

Como funcionam os testes?

Assim como ocorre nos testes rápidos realizados em locais controlados, os autotestes para Covid-19 preveem a coleta de uma amostra de secreção nasal ou da saliva. O material é misturado a um reagente e inserido no dispositivo. Após alguns minutos, o resultado é gerado. A leitura do resultado é semelhante ao de um teste rápido de gravidez em que  aparecerão duas linhas se o teste for positivo e uma linha só no caso de um resultado negativo. 

Ainda que o autoteste não indique a presença da doença, é necessário ficar atento aos sintomas e buscar o isolamento, sobretudo se há pessoas do mesmo convívio confirmadas com a infecção. No caso de pessoas com sintomas graves, como falta de ar, saturação abaixo de 95%, confusão mental e sinais de desidratação, o autoteste não é recomendado. “Esses indivíduos precisam procurar imediatamente assistência em uma unidade de saúde”, detalha o PNE-Testes. 

A Anvisa precisará registrar os produtos antes da comercialização. A previsão é que os pedidos comecem a ser avaliados na próxima semana.

Fonte: R7 – Brasília

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *