Drenar-GDF-300x250-GIF
Paraíba será o primeiro estado a pagar o piso nacional da enfermagem
Reservatórios do Túnel de Taguatinga estão concretados
Entidades do setor produtivo fazem ressalva a juros altos
Mortalidade prematura por câncer no Brasil deve cair até 2030
Prato Cheio libera mais de R$ 21,2 milhões em parcela de fevereiro

Em Campinas, Vila Nova marca no fim e fica no empate com a Ponte Preta

Lance

Lance Lance

Brigando para recuperar-se na classificação do Campeonato Brasileiro da Série B, Ponte Preta e Vila Nova sabiam da necessidade de uma vitória na noite deste sábado, pela 28ª rodada, no estádio Moisés Lucarelli. Com os gols saindo apenas na segunda etapa, a Macaca até chegou a abrir vantagem, porém em um pênalti marcador após consulta ao VAR, já nos acréscimos, fez com que o Tigre conseguisse igualar tudo fechando o placar em 1 a 1.

Com o resultado, o clube de Campinas chegou aos 33 pontos, estacionando na 14ª colocação. Já o time de Goiânia chegou aos 34 pontos, ficando um posição acima do rival, em 13º.

>Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

PONTE PRETA IMPÕE PRESSÃO NO INÍCIO

Jogando sob seus domínios, a equipe da Ponte não queria saber de ceder espaços ao Vila Nova nos primeiros movimentos. Sendo assim, tratou de imprimir sua força na expectativa de encontrar seu gol, porém esbarrou na forte defesa rival que pouco dava espaços.

Até meados dos 20 minutos, o panorama do jogo era o mesmo. Entretanto, mesmo com novas chegadas por parte dos mandantes, foram poucos os lances que, de fato, causaram perigo ao goleiro Georgemy mantendo o placar zerado.

VILA MELHORA, MAS DESPERDIÇA FINALIZAÇÕES

Aos poucos, a equipe de Higo Magalhães foi equilibrando as ações em campo. Conseguindo ficar mais com a posse de bola, chegou a finalizar em algumas oportunidades com Alesson e Rafael Donato, porém ambas sem sucesso para alívio do sistema defensivo da Ponte.

Nos momento finais da etapa, apesar do Tigre continuar em cima, acabou não aproveitando para tirar o zero do placar, frustrando os atletas em campo.

PONTE SAI NA FRENTE

Com ambos os times voltando para a etapa complementar, apenas o auxiliar da Ponte, Fabiano Xhá, que substituia o suspenso Gilson Kleina, optou por uma troca, colocando Kevin no lugar de Felipe Albuquerque.

Entretanto, com o tempo passando, e com o jogo em aberto, os treinadores então, em substituições duplas, resolveram dar um ânimo para suas respectivas equipes. E quem se deu melhor foi o time de Campinas. Aos 19, Rafael Santos, mandando uma bomba cobrança de falta rasteira, finalmente abriu o marcador no Moisés Lucarelli para alegria do camisa 6.

GOIANOS EMPATAM NO ÚLTIMO MINUTO

Já na reta final do confronto, Higo Magalhães ainda mantinha as esperanças de, ao menos, arrancar um empate na casa do rival. Mesmo mudando mais algumas peças em seu esquema tático, via uma muralha formada pela Macaca, que pouco permitia que os atacantes conseguissem finalizar contra seu gol.

Porém, já nos acréscimos, o árbitro, através do VAR, confirmou um pênalti para o clube de Goiânia. Sendo assim, depois de muita demora, Pedro Júnior, batendo alto e no canto, tratou de igualar tudo, fechando a conta em 1 a 1.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 1×1 VILA NOVA

Data e horário: 02/10/2021, às 21h30 (de Brasília)
​Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Árbitro: Adriano Barros Carneiro (CBF-CE)
Assistentes: Renan Aguiar da Costa (CBF-CE) e Eleutério Felipe Marques Junior (CBF-CE)
VAR: Wanderson Alves de Sousa (CBF-MG)

Cartões Amarelos: Willian Formiga, 17’/2ºT; Pedro Júnior, 34’/2ºT; Rafael Donato, aos 40’/2ºT; Rayan, aos 43’/2ºT; Moisés, 52’/2ºT

Gols: Rafael Santos, 19’/2ºT (1-0); Pedro Júnior, 54’/2ºT

PONTE PRETA: Ygor; Felipe Albuquerque (Kevin, no intervalo), Cleyton (Fábio Sanches, aos 16’/2ºT), Rayan e Rafael Santos; André Luiz, Marcos Júnior (Lucas Cândido, aos 36’/2ºT) e Camilo (Thalles, aos 18’/2ºT); Richard (Iago, aos 18’/2ºT), João Veras e Moisés.
(Técnico: Fabiano Xhá)

VILA NOVA: Geogemy; Moacir, Renato Silveira, Rafael Donato e Willian Formiga; Dudu, Deivid (Tiago Real, aos 28’/2ºT) e Arthur Rezende (Rafael Silva, aos 38’/2ºT); Kelvin (Diego Tavares, aos 16’/2ºT), Clayton (Pedro Júnior, aos 16’/2ºT) e Alesson (Maná, aos 38’/2ºT).
(Técnico: Higo Magalhães)

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *