Decreto regulamenta crédito consignado no Auxílio Brasil
Setor de serviços cresceu 0,7% em junho, aponta pesquisa
Conab estima safra de grãos em 271,4 milhões de toneladas em 2021/22
Desemprego registra queda em 22 unidades da federação
Pesquisa indica queda de 2% no abate de frangos no país

Dores físicas e emocionais: existe conexão entre elas?

Dores emocionais nem sempre são as mais fáceis de identificar ou de curar

Dores emocionais nem sempre são as mais fáceis de identificar ou de curar Milada Vigerova/ Unsplash

Tristeza, angústia, melancolia e depressão são condições associadas mais frequentemente aos males de origem emocional ou psicológica, afinal não é incomum que um trauma causado pela perda de um ente querido ou uma situação de estresse possam afetar um indivíduo e resultar em dores físicas. Seja qual for o tipo de desconforto, quando mal administrado ou negligenciado, o risco de se tornar uma doença existe e deve ser observado.

As emoções negativas  são capazes de impactar diretamente na saúde física, principalmente quando são sublimadas. Frustração, raiva, luto ou separação podem se transformar em processos inflamatórios, dores crônicas de cabeça ou de estômago, bem como ataques de ansiedade. Veja a seguir alguns sintomas que podem ser reflexo de dores emocionais:

Dor de cabeça: quando não associadas a nenhum mal-estar físico, em geral estão relacionadas a síndromes de burn-out ou excesso de preocupações no dia a dia;

Dor nas costas: tensional ou ocasional, indica que a pessoa pode estar numa fase de necessidade de apoio ou que enfrenta algum tipo de rejeição;

Dor no pescoço ou nos ombros:  podem ser excesso de cobrança consigo mesmo e dificuldades em lidar com situações de conflito;

Dor de estômago: é típica de quem vive uma fase de desequilíbrio em algum aspecto da vida, podendo desencadear distúrbios alimentares e graves processos inflamatórios;

Dor de garganta: também ocasionalmente relacionada à dificuldade em expressar sentimentos e resolver desentendimentos nas relações interpessoais;

Há doenças psicossomáticas, no entanto, que têm causa hereditária e até mesmo questões genéticas associadas. Elas podem surgir como gripes e resfriados, herpes, enxaquecas, alergias e até náuseas e diarreias.

Nesses casos, entender o histórico familiar e ambiental é fundamental para o diagnóstico adequado. Para evitar a evolução de quadros sintomáticos, a melhor alternativa é buscar sempre a ajuda de especialistas. Somente um psicólogo ou psiquiatra tem as ferramentas necessárias para avaliar as causas, sugerir tratamentos e ajudar a combater futuras crises.

Outra forma de amenizar esse tipo de ocorrência é tentar organizar sua rotina, estabelecendo horários razoáveis para sua carga de trabalho. Além disso, é fundamental cuidar da alimentação, praticar exercícios e reservar um tempinho para seus hobbies e momentos de lazer. Equilíbrio é a palavra-chave para manter sua saúde e bem-estar em dia.

Neo Química. Sua saúde é nossa vocação

Referências consultadas:

Qual é a relação entre as emoções e as dores físicas?. Instituto Brasileiro de Neuromarketing e Neuroeconomia. Internet. Disponível em: https://shop.ibnbrasil.com/qual-e-a-relacao-entre-as-emocoes-e-as-dores-fisicas/. Acesso em 26/10/2021.

6 dores físicas que podem estar ligadas ao emocional. Catraca Livre. Internet. Disponível em: https://catracalivre.com.br/saude-bem-estar/6-dores-fisicas-que-podem-estar-ligadas-ao-emocional/. Acesso em 26/10/2021.

Entenda o que são doenças psicossomáticas: qual a origem, sintomas e tratamentos. Hospital Santa Mônica. Internet. Disponível em: https://hospitalsantamonica.com.br/entenda-o-que-sao-doencas-psicossomaticas-qual-a-origem-sintomas-e-tratamentos/. Acesso em 26/10/2021.

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.