Drenar-GDF-300x250-GIF
Programa oferece até R$ 21 mil de crédito para empreendedores negros
Governo lança programa para reduzir filas no sistema de saúde
UNE quer construir agenda com reivindicações ao governo federal
Anvisa fará webinar sobre novas regras de reprodução humana assistida
Mercado financeiro eleva projeção da inflação de 5,74% para 5,78%

CPI da Covid decide cancelar depoimento do ministro Queiroga

Ministro iria depor à CPI na próxima segunda-feira (18)

Ministro iria depor à CPI na próxima segunda-feira (18) Joédson Alves/EFE

Os senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19 decidiram, em reunião virtual na manhã desta terça-feira (12), cancelar a convocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O depoimento dele à comissão estava marcado para próxima segunda-feira (18). Ao R7, o presidente da Comissão, Omar Aziz (PSD-AM), confirmou a desistência e disse que um novo depoimento de Queiroga não acrescentaria informações relevantes, já que ele foi ouvido em outros momentos.

No lugar de Queiroga, a CPI ouve, no dia 18, o médico pneumologista Carlos Carvalho. Os senadores querem saber se ele teria solicitado o adiamento da reunião da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) para análise de um relatório que vetava o uso do “kit Covid”.

Parentes de vítimas também são esperados na reunião da próxima segunda. Omar Aziz confirmou o calendário inicial anunciado por ele. A leitura do relatório final elaborado por Renan Calheiros (MDB-AL) será na terça-feira (19). A votação do documento está mantida para o dia seguinte. Aziz também descartou prorrogação dos trabalhos da CPI.

Nova convocação
A terceira convocação de Queiroga foi aprovada na quinta-feira (7). A solicitação já vinha sendo discutida entre os senadores, mas não havia consenso. O que ajudou a pressionar a aprovação do requerimento foi a retirada de pauta da reunião da Conitec do item que previa a discussão sobre o relatório contrário ao uso de cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina em pacientes com Covid-19 ou com suspeita da doença que foi elaborado pelo grupo técnico.

Na segunda-feira (11), Marcelo Queiroga confirmou estar “à disposição” CPI. “Não só do Senado, mas da Câmara, da Procuradoria da República, do poder Judiciário, mas, sobretudo, do povo brasileiro”, disse Queiroga a jornalistas na porta do ministério.

Relatório Conitec
O documento da Conitec revisou tecnologias avaliadas em nove diretrizes nacionais e internacionais para o tratamento ambulatorial de pacientes com suspeita ou diagnóstico de Covid-19 e concluiu, por exemplo, que há incertezas sobre o benefício do uso de ivermectina em pacientes com a doença.

Além disso, o relatório constatou que “azitromicina e hidroxicloroquina não mostraram benefício clínico e, portanto, não devem ser utilizados no tratamento ambulatorial de pacientes com suspeita ou diagnóstico de Covid-19”.

Outro trecho do relatório frisou que “em relação aos eventos adversos, hidroxicloroquina ou cloroquina aumentaram a ocorrência de eventos adversos” em pacientes com Covid-19.

“Houve mais eventos adversos dentre os pacientes que fizeram uso de hidroxicloroquina. Os eventos mais comuns foram diarreia, náusea e vômitos. O risco de cardiotoxicidade e arritmias é incerto.”

Fonte: R7 – Saúde

Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *