Brasília se enche de branco e dourado para anunciar 2023
Cerca de 30% da população estavam em situação de pobreza em 2021
Saúde Após dois anos de covid, um em cada quatro jovens não estuda
Após dois meses de queda, indústria cresce 0,3%, revela IBGE
Bloqueio no orçamento das universidades federais é suspenso

Coiote abandona menina de 7 anos na fronteira dos EUA

GUARULHOS, SP

Agentes americanos encontraram na última terça-feira (12) uma menina de 7 anos abandonada por um coiote na fronteira entre os Estados Unidos e o México. As imagens da criança nas costas de um homem descendo o muro com uma corda e, depois, sendo deixada sozinha foram capturadas pelo sistema de vigilância.

De acordo com informações do Serviço de Alfândegas e Proteção das Fronteiras (CBP, na sigla em inglês), a menina é natural de El Salvador. Ela foi localizada na cidade californiana de Calexito e encaminhada para o centro de processamento de migrantes de El Centro. Os agentes informaram que assistiram à cena ainda quando o homem descia o muro com a menina, mas preferiram aguardar até que ela estivesse em segurança, no solo, para não criar pânico ou feri-la.

Em um comunicado, o chefe local do serviço de fronteiras, Gregory K. Bovino, afirmou que “os contrabandistas sempre verão as crianças como uma mercadoria para obter lucro, desconsiderando a segurança e o bem-estar.” “Ninguém, muito menos uma criança de qualquer idade ou raça, deve ser exposto aos perigos de cruzar ilegalmente a fronteira para este país.”

Cenas de crianças sendo abandonadas na fronteira americana com o México não são incomuns. Em abril, o sistema de segurança de Santa Teresa, no estado do Novo México, registrou duas irmãs sendo jogadas por cima do muro. Elas são equatorianas e, à época, uma tinha três anos, e a outra, cinco. Também se multiplicam os casos em que agentes da patrulha encontram crianças abandonadas na fronteira. A situação vai ao encontro daquele que é considerado o maior fluxo na divisa dos EUA com o México em duas décadas.

Os números ilustram o cenário: somente no mês de agosto, 18.847 crianças desacompanhadas cruzaram a fronteira. O número é cinco vezes maior que o registrado no mesmo mês em anos anteriores -foram 3.100 em agosto de 2020 e 4.119 em 2019.

No ano fiscal de 2021 (de outubro de 2020 a agosto deste ano) o número de crianças desacompanhadas passou de 132.600, volume superior ao registrado no ano fiscal de 2019 –80.600. Em 2020, em parte devido à pandemia de coronavírus, o número total foi menor, de 33.200.

O presidente Joe Biden, que outrora prometeu reverter as políticas anti-imigratórias de Donald Trump, vem sendo criticado pela continuidade de duras medidas, como a que facilita a expulsão imediata de pessoas que tentarem entrar no país violando restrições de viagens ou de forma ilegal, sem permitir que busquem asilo.

Autoridades americanas e mesmo agentes da fronteira atribuem à medida, conhecida como Título 42, uma alavanca para o alto fluxo na fronteira, já que ela estaria impulsionando os casos de pessoas que cruzam a fronteira várias vezes para tentar escapar da captura.

Apenas entre os meses de maio e junho, mais de 2.800 bebês e crianças brasileiras com até seis anos de idade atravessaram irregularmente a fronteira e acabaram detidas pelo serviço de migração, como mostrou reportagem da BBC Brasil. Doze delas entraram no país sem a companhia dos pais ou de algum responsável legal.

Os Estados Unidos estimam que, no total, 184 mil crianças migrantes desacompanhadas cheguem à divisa com o México neste ano. Uma das áreas de maior preocupação para a administração de Biden são os países do triângulo norte da América Central (El Salvador, Honduras e Guatemala), cujos moradores, impulsionados pela violência, pela desigualdade social e pelas mudanças climáticas, cada vez mais têm migrado em caravanas para os EUA.

O crescente número de crianças migrando para o país potencializa ainda as críticas à situação dos abrigos para imigrantes, considerados inadequados para adultos e, especialmente, para bebês e crianças. A organização não governamental Save the Children tem denunciado que milhares de crianças seguem sendo mantidas em centros de processamento por mais tempo do que as 72 horas permitidas por lei.

O post Coiote abandona menina de 7 anos na fronteira dos EUA apareceu primeiro em Jornal de Brasília.

Fonte: R7 – Brasil

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *