Preparem sua torcida! Vem aí a segunda edição da Copa Lotus
Comissão aprova texto preliminar do Orçamento de 2023
Câmara aprova projeto que regulamenta criptomoeda
FGV: Indicador de Incerteza da Economia varia 0,1 ponto
Governo trabalha em novos bairros e na regularização de 24 mil imóveis

Bolsonaro sanciona lei que suspende mínimo de dias letivos

Escolas não precisam cumprir o mínimo de dias letivos em 2021

Escolas não precisam cumprir o mínimo de dias letivos em 2021 Daniel Guimarães/EducaçãoSP/Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que desobriga escolas e universidades a cumprirem o mínimo de dias letivos neste ano de 2021. O texto foi publicado no Diário Oficial da União de quarta-feira (13).

Apesar de liberar o cumprimento da carga horária mínima de 800 horas ao ano, as instituições de ensino deverão compensar essas aulas no ano que vem, mesmo se o estudante estiver cursando o último ano do ensino médio. Essas atividades poderão ser desenvolvidas de forma remota, desde que haja condições para isso. A educação infantil não precisa cumprir a carga mínima anual.

Pela lei, as universidades estão dispensadas de cumprir o mínimo de dias letivos do calendário acadêmico,mas a carga horária anual mínima deve ser mantida.

Cursos de medicina, farmácia, enfermagem, fisioterapia e odontologia podem ter a conclusão antecipada pelas instituições, desde que o aluno cumpra 75% da carga horária ou dos estágios curriculares obrigatórios.

De autoria da deputada Professora Dorinha do DEM-TO (Democratas de Tocantis), o texto já havia passado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado. As normas constam no decreto de calamidade pública, editado em virtude da pandemia da covid-19, que alterou a rotina escolar em virtude das medidas de isolamento social.

O decreto, no entanto, perdeu a vigência em 31 de dezembro de 2020. No primeiro dia de 2021, as normas sobre educação deixaram de valer, mas a situação nas escolas do país não retomaram sua normalidade. Por isso, texto sancionado garante a validade das “normas excepcionais”.

Fonte: R7 – Educação

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *