Brasília se enche de branco e dourado para anunciar 2023
Cerca de 30% da população estavam em situação de pobreza em 2021
Saúde Após dois anos de covid, um em cada quatro jovens não estuda
Após dois meses de queda, indústria cresce 0,3%, revela IBGE
Bloqueio no orçamento das universidades federais é suspenso

Bipolar, São Paulo vence. Mas, de novo, não convence. Não dá para confiar

O São Paulo outra vez foi instável. Mas venceu. Crespo ganhou fôlego

O São Paulo outra vez foi instável. Mas venceu. Crespo ganhou fôlego Rubens Chiri/São Paulo

São Paulo, Brasil

A situação de Hernán Crespo estava se complicando.

O argentino havia perdido a aura de proteção que a conquista do Campeonato Paulista havia trazido ao seu trabalho. As eliminações na Libertadores e, principalmente, na Copa do Brasil pesaram demais. Não só pelo futebol, mas por uma velha conhecida: a apatia do time tricolor.

O presidente Julio Casares tratou de assegurar o emprego de Crespo. Mas deixou claro ao técnico que existe um objetivo para o resto de 2021: levar o clube para a Libertadores.

A vitória hoje, diante do Atlético Goianiense, muito bem montado por Eduardo Barroca, no Morumbi, se tornou obrigatória. 

Crespo tratou de fazer três mudanças fundamentais, depois da derrota e eliminação da Copa do Brasil, para o Fortaleza.

Ele tratou de abandonar os três zagueiros, até pela suspensão de Miranda. 

Teve de se render à forte marcação de Luan.

E tratou de exigir outra postura dos seus atletas. Muita vibração, correria, personalidade, intensidade, tudo que faltou no Ceará.

O São Paulo sofreu no Morumbi. Foi bipolar. Fez excelente primeiro tempo. E péssima segunda etapa.

Mas conseguiu vencer o jogo por 2 a 1, gols de Rigoni e de Luciano, enquanto Matheus Barbosa descontou.

O clube paulista conquistou importantes três pontos. 

Chegou à 12ª colocação no Brasileiro.

Só que a impressão deixada é de um time que não merece confiança.

“Nossa equipe vem passando por um momento muito difícil, mas todos estão trabalhando, desde os jogadores até a comissão, para tirar o São Paulo desta fase. Temos de buscar mais objetivos dentro do campeonato, que é o que o São Paulo merece”, tentou disfarçar, Luan.

Já Matheus Barbosa foi direto. E certeiro.

“A gente respeitou muito o São Paulo. É uma grande equipe, temos de respeitar sempre, mas a gente poderia impor um pouco mais nosso ritmo. Criamos no segundo tempo algumas oportunidades, infelizmente não conseguimos o empate”, dizia, irritado.

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *