Defensoria ingressa com Ação Civil Pública contra Porto Alegre e mais três Municípios para garantir passe livre nos ônibus durante os dias de eleições
Brasil ocupa 54ª posição em ranking de inovação
Campanha de vacinação contra a pólio termina hoje
TSE desmente fake news
Transparência Eleitoral Brasil faz credenciamento para coletiva de imprensa

Após deixar o Fluminense, Abel Braga não pensa mais em trabalhar como técnico no Brasil

Lance

Lance Lance

Acabou a passagem de Abel Braga pelo Fluminense e possivelmente como treinador no futebol brasileiro. Após entregar o cargo no Tricolor nesta quinta-feira, o LANCE! ouviu de pessoas próximas que o veterano não quer mais trabalhar no país, se abrindo apenas para propostas de comando no exterior. A exceção seria em cargos de gestão. Ao Blog do PVC, no “ge”, Abel confirmou a informação.

– Se não for fora do país, a minha carreira como treinador, aqui dentro acabou. Eu não quero mais. Já tive convites para diretor técnico, diretor de transição. Algo como o Muricy está fazendo no São Paulo – afirmou.

Caso encerre mesmo a carreira em solo brasileiro, Abel Braga termina com diversos títulos no currículo. São 10 conquistas de Estaduais (Pernambucano em 1987, Paranaense em 1998 e 1999, Carioca em 2004, 2005, 2012, 2019 e 2022 e Gaúcho em 2008 e 2014), além de um Brasileirão em 2012 no Fluminense, uma Libertadores e um Mundial de Clubes no Internacional em 2006. Essas são as principais taças de uma trajetória vitoriosa.

Veja a tabela da Série A do Brasileirão

Abel tem a carreira mais longa da Série A do Campeonato Brasileiro. Aos 69 anos, assumiu a primeira equipe na elite em 1985, no Botafogo. O treinador encerra a passagem pelo Fluminense com o aproveitamento mais alto pelo clube, somando 70,5% em 26 jogos. Entre 2017 e 2018, teve 48,3% em 109 partidas, além de 60,5% em 142 jogos entre 2011 e 2013 e 56,8% em 75 confrontos em 2005.

A decisão foi tomada ainda na última quarta-feira, quando Abel avisou à diretoria que não estava mais feliz. O principal motivo da saída é evitar atritos com os dirigentes, especialmente o presidente Mário Bittencourt, e a torcida. Os tricolores vinham pressionando nas últimas semanas por conta das atuações ruins da equipe.

Fonte: R7 – Esportes

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.