Empresas lançam Movimento de Infraestrutura para impulsionar investimentos no país
Economia Vendas do comércio crescem 0,4% de setembro para outubro, diz IBGE
Sonho de Copa: filha usa camisa autografada do Brasil pentacampeão em 2002 para ajudar a mãe se reerguer
POPHAUS: O MAIOR PARQUE DE INFLÁVEIS DA AMÉRICA LATINA CHEGA A BRASÍLIA
Safra de grãos 2022/23 é estimada em 312,2 milhões de toneladas

Aluno de 12 anos põe fogo em sala de aula em Mesquita, na Baixada Fluminense

(FOLHAPRESS) – Um adolescente de 12 anos pôs fogo dentro de uma sala de aula da Escola Municipal Deoclécio Dias Machado Filho, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O caso ocorreu na manhã desta terça-feira (22). O fogo foi controlado pelos próprios funcionários da escola com um extintor. Ninguém ficou ferido.

A Polícia Civil disse que a o aluno vai responder pelo ato infracional análogo ao crime de tentativa de homicídio. Uma perícia dentro da escola também foi requisitada para apurar mais detalhes. A investigação está em andamento na 53ª Delegacia de Polícia, em Mesquita.

Segundo testemunhas, o adolescente estava no horário de aula quando pediu ao professor para ir ao banheiro, por volta das 9h. Em seguida, ele voltou para sala, espalhou gasolina no chão e depois jogou um isqueiro aceso. O combustível estaria armazenado dentro de um galão guardado em sua mochila.

Depois, o aluno ainda teria fechado a porta da sala para impedir que os demais estudantes e o professor saíssem do local. Ao notar a situação, funcionários que passavam pelo corredor começaram a chutar a porta e, assim que entraram na sala, conseguiram apagar o fogo com o auxílio de um extintor.

Após a tentativa de incêndio, o estudante tentou fugir do local, mas foi impedido por uma patrulha da Guarda Municipal que estava nas proximidades da escola. Os agentes encaminharam o adolescente para a delegacia.

A Secretaria Municipal de Educação de Mesquita afirmou, em nota, que “o incidente foi rapidamente controlado pela equipe da unidade, com extintores de incêndio, sem registro de feridos”. Também disse que o caso foi acompanhado pelo “Conselho Tutelar, assim como a Guarda Civil Municipal e toda a equipe técnico-pedagógica da pasta”.

Ainda de acordo com o município, a escola tem câmeras de vigilância instaladas nos espaços comuns e o caso segue sendo acompanhado “para verificação e providências pertinentes, a fim de que não ocorram incidentes futuros”.

Fonte: Notícias ao Minuto Brasil – Justiça

Compartilhe este conteúdo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *